quinta-feira, 23/05/2024

Em seu comentário de rádio (FM Difusora) hoje (23) o jornalista Sergio Cruz, tratou o Copom – Comitê de Política Monetária como comitê de política partidária, depois que o Banco Central decidiu manter a taxa Selic em 13,75. Sergio Cruz, que é economista e já foi titular da Comissão de Finanças da Câmara dos Deputados, expicando que “o aumento do juro foi o remédio que a ciência econômica descobriu para impedir o crescimento da inflação”.

Para ele, a fórmula tem cara de milagre econômico, “quando é colocada acima dos fundamentos básicos, práticos e efetivos da desaceleração do processo inflácionário, que são o abastecimento, através do aquecimento da produção, e o controle dos gastos públicos, onde as despesas não seja maiores que a receita. Sergio Cruz considera ainda que “a inflação é uma doença crônica, controlada pela variação da taxa de juro”, ressaltando, todavia, que “a taxa de juro é um antibiótico, que deve ser aplicado na dose certa para não agravar a enfermidade”.

Observa ainda que no Brasil a taxa de juro é exagerada, apontando-a como a maior do mundo e critica o Banco Central por manter os 13,75% dos meses anteriores com ironia:

“Manteve os absurdos 13,75%, contrariando diagnósticos técnicos e prognósticos políticos e aumentando a suspeição de que o Copom está cada vez menos Comitê de Política Monetária e cada vez mais, comitê de política partidária”, finaliza.