terça-feira, 28/05/2024
Doação de sangue é transformada em campanha por mãe e filhas gêmeas, que já precisaram do Hemosul

O desejo de ser doadora de sangue sempre esteve presente na vida da estudante Hilda Beatriz Fernandes, 18 anos, que ouvia da mãe a história do seu nascimento. “Minha mãe sempre contou que quando nascemos de sete meses de gestação, eu e minha irmã gêmea, a medicina dizia que ou ela ou nós sairíamos vivas. Todas precisamos de sangue na época. Desde muito nova eu pensei que seria justo se eu, que recebi doação de sangue, retribuísse para ajudar, agradecer de alguma forma”.

E os planos foram concretizados em fevereiro de 2021, quando as jovens – Ana Júlia e Hilda Beatriz – completaram 16 anos e puderam iniciar a doação de sangue. Desde então, foram inúmeras doações e campanhas, incentivando familiares e amigos. “No dia do nosso aniversário de 16 anos, a gente comemorou no Hemosul, doando sangue. Eu tenho minha carteirinha de doadora. Consegui incentivar minha irmã que tem pânico de agulha.

Daiuza e as filhas gêmeas são doadoras frequentes e também organizam campanhas

Eu fico muito feliz de poder doar sangue”, afirmou a jovem.

O incentivo à doação é tão grande que no ano passado a família conseguiu reunir o grupo de escoteiros e arrecadar 100 bolsas de sangue. “Eu acredito que naquele dia, mais de 200 pessoas doaram sangue. A gente doa em média três vezes ao ano. Eu parei de fazer micropigmentação de sobrancelha para poder voltar a doar. Estamos todas empenhadas em ajudar”, afirmou Daiuza Goes, 42 anos.

Na época do parto difícil das filhas gêmeas, e a internação nos 45 dias seguintes, ela não imaginava que a dificuldade se tornaria em uma verdadeira corrente do bem que está prestes a completar duas décadas. “É realmente uma história que a gente lembra com carinho, pois salvou nossas vidas e agora podemos ajudar a salvar outras”.

Como doar

O Hemosul funciona de segunda a sábado

Atualmente o estoque de sangue tipos O- e O+ está em falta no Hemosul Coordenador. Para doar basta comparecer à unidade – ou no período matutino nos postos de coleta localizados na Santa Casa e no Hospital Regional – com documentos pessoais, estar bem alimentado e bem de saúde.

Também é necessário ter entre 16 a 69 anos e pesar 51 kg ou mais. Além disso, é importante ficar atento ao intervalo para quem se vacinou contra a covid (Coronavac 48h, já Astrazeneca, Pfizer e Janssen intervalo de 7 dias).

O Hemosul também reforça que doenças respiratórias deixam o doador inapto enquanto estiver doente. Homens podem doar sangue até quatro vezes ao ano com intervalo mínimo de dois meses. Mulheres podem doar até três, com intervalo mínimo de três meses.

Serviço

HEMOSUL COORDENADOR

Av. Fernando Corrêa da Costa, 1304.

Funcionamento das 7h às 17h de segunda a sexta e das 7h às 12h. Os telefones para contato são 3312-1517 e 99298-6316 (WhatsApp).

Natalia Yahn, Comunicação do Governo de MS

Fotos: Arquivo pessoal / Bruno Rezende