domingo, 16/06/2024
Equipamento de radioterapia - tratamento de câncer

12/06/2023 – 10:55  

Acácio Pinheiro/Agência Brasília

Deputado quer saber quantidade e condições dos equipamentos de radioterapia no País

A comissão especial que acompanha as ações de combate ao câncer no Brasil promove audiência pública nesta quinta-feira (15) para discutir o acesso ao tratamento por radioterapia e radiocirurgia.

O deputado Weliton Prado (Solidariedade-MG), que solicitou este debate, informa que documento da Sociedade Brasileira de Radioterapia (SBRT), entregue ao Ministério da Saúde, aponta que o número de pacientes diagnosticados com câncer sem acesso ao Sistema Único de Saúde (SUS) chega a 1,1 milhão, e a falta do tratamento pela radioterapia pode ter provocado a morte de 110 mil pessoas entre o período de 2008 e 2022.

De acordo com o documento, elaborado em parceria com a Fundação Dom Cabral, nesse período, 1,7 milhão de pacientes receberam tratamento nos serviços públicos ante uma demanda estimada de 2,8 milhões. E cerca de 75% dos pacientes dependem exclusivamente do SUS.

“Portanto, é preciso debater a situação da radioterapia e radiocirurgia, identificando a quantidade total de aceleradores lineares disponíveis no País, a condição desses equipamentos, a situação de cada região, onde estão distribuídos esses aparelhos, o tempo e a distância que os pacientes percorrem para ter acesso ao tratamento, a formação de médicos e disponibilização da radiocirurgia nos hospitais universitários, os investimentos previstos e já aplicados, e traçar soluções para romper com a gravíssima estimativa apresentada”, afirma o deputado, que é presidente da comissão.

Convidados
Foram convidados para discutir o assuto:
– a chefe do Serviço de Radioterapia do Instituto Nacional de Câncer (Inca), Raquel Domingues da Silva;
– o presidente da Sociedade Brasileira de Radioterapia, Marcus Simões Castilho;
– representante do Ministério da Saúde; e
– representante da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

Confira a lista de convidados

A audiência está marcada para as 15 horas, no plenário 9.

Da Redação – MB