terça-feira, 28/05/2024
Presidente da ALEMS defende ação conjunta para desenvolvimento da região Norte

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS), deputado Gerson Claro (PP), defende o esforço conjunto, entre as lideranças políticas e instituições do Estado, além dos diferentes segmentos sociais, para a construção de políticas de desenvolvimento da região Norte, que gerem emprego e renda, mas também sejam ecologicamente sustentáveis. No primeiro fim de semana do mês do Meio Ambiente, o parlamentar esteve em Coxim e Sonora, onde se reuniu com lideranças dos municípios e enfatizou as contribuições da Casa de Leis com relação ao tema.

“Mato Grosso Sul passa por um ciclo virtuoso de desenvolvimento, que precisa chegar a esta parte do Estado, que tem Coxim como polo. São mais de R$ 60 bilhões de investimentos contratados para diferentes regiões do Estado. A Costa Leste se consolida como um polo de celulose. A suinocultura está chegando à Sidrolândia, o que vai agregar valor à produção de milho. Dourados, já produz álcool a partir do milho. A partir da definição das atividades econômicas que aqui poderão ser exploradas, o Estado precisa cumprir seu papel de indutor do desenvolvimento” , reiterou o presidente da ALEMS. Em Coxim, Gerson se reuniu com o prefeito Edilson Magro (DEM) e várias lideranças da cidade.

“A Assembleia Legislativa e o Governo do Estado estão empenhados em criar condições para reabertura do frigorífico da cidade, que vai gerar 200 empregos diretos. Se for instalada uma sala de desossa e a planta foi habilitada para exportação, o número de trabalhadores dobra”, destacou o deputado. Ele participou das festividades alusivas aos 35 anos de emancipação de Sonora.

Uma das questões que, na opinião do presidente da ALEMS, são centrais para a estrutura logística do Norte, é a licitação para a escolha da empresa que vai assumir a concessão da BR-163.  “O formato adotado pela ANTT é claramente danoso aos interesses do Estado, com a divisão da rodovia em dois lotes: o Pantanal, de Campo Grande/Sonora, e o Tuiuiú, entre Campo Grande/Mundo Novo/Nova Alvorada do Sul/Bataguassu, com a incorporação da BR-163. “Pelo edital, a concessionária só terá de duplicar 67 dos 379,6 km, com cobrança de pedágio a cada 100 km. Em 8 anos, a atual concessionária só duplicou 150 dos 854 km da rodovia”.

O deputado considera duas obras em andamento essenciais para a região. Uma delas é a implantação da MS-214, que ligará Coxim ao Pantanal Paiaguás. É um projeto de R$ 238 milhões, que vai criar uma nova conexão de Mato Grosso do Sul com Mato Grosso, pelos municípios de Corumbá e Poconé (MT). Também estratégica, na avaliação do presidente, é a pavimentação da BR-419, ligação da BR-163 com a BR-262, em Aquidauana, abrindo um caminho de passagem para o Corredor Bioceânico, que começará em Porto Murtinho e encurtará o caminho das exportações para a Ásia .