segunda-feira, 22/04/2024
Mobilização pede aprovação da PEC do diploma de Jornalismo

Convidado pelo deputado Pedro Kemp (PT), o presidente do Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso do Sul (Sindjor-MS), Walter Gonçalves Filho, utilizou a tribuna nesta manhã (12) para pedir o apoio dos parlamentares para aprovação da Proposta de Emenda Constitucional da exigência do diploma de jornalismo para exercer a profissão. “Estamos completando 40 anos de história e luta em favor da categoria e de qualidade na divulgação das notícias. Ainda lembrando o dia 7 de abril, Dia do jornalista, estamos pedindo hoje o apoio de todos parlamentares em favor da aprovação pela Câmara Federal da PEC do diploma”, explicou.

“Ao todo somos 31 sindicatos em todo o Brasil que compõe a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj). E esta campanha é pelo retorno da exigência do diploma para exercer a profissão. O diploma foi extinto em 2009, e a partir daí ocorreu uma série de problemas para nossa categoria, não foram só de salários, mas de profissionais e veículos de comunicação que não são para exercer o jornalismo, disseminando, muitas vezes, fake News”, completou o jornalista.

Walter Gonçalves considera o momento propício. “Em cada estado já iniciamos a mobilização, convocando jornalistas e acadêmicos para aprovar essa proposta de emenda constitucional. Venho aqui pedir para que vocês façam gestão junto a bancada federal, pois no dia 18, haverá reunião em Brasilía com a participação dos sindicatos e da Fenaj. O diploma será exigido a partir da aprovação, quem já exerce não terá o registro profissional cancelado. A Proposta restabelece um critério único e transparente para quem exerce o Jornalismo”, concluiu.

O deputado estadual Pedro Kemp (PT) agradeceu a fala do presidente do Sindicato dos Jornalismo de Mato Grosso do Sul (Sindjor-MS), Walter Gonçalves Filho. “Com certeza, suas observações serão consideradas em apoio a categoria, defendendo a implantação deste projeto para garantir o diploma dos jornalistas profissionais que possam atuar defendendo os direitos da sociedade”, declarou.