segunda-feira, 22/04/2024
Gerson diz que violência em escolas não se resolve com demagogia e cobra atuação familiar

O presidente da Assembleia Legislativa , deputado Gerson Claro,  avalia que é necessário agir com serenidade, buscar boas práticas recomendadas por especialistas em segurança, com foco no trabalho de inteligência para abortar qualquer ameaça de invasão ou agressão a alunos, professores e funcionários das escolas .  Em momentos de crise como este , que traz pânico à sociedade, a resposta das autoridades, na opinião do presidente da Assembleia ,  deve ser dada de forma sensata, lastreada em recomendações dos especialistas. ” Não tem cabimento  politizar  a questão , fazer desta situação de crise  um trampolim para o oportunismo e a demagogia. A sociedade repudia  quem tenta buscar um protagonismo com soluções simplistas  e meramente midiáticas “, destaca o parlamentar  que participou  ao lado do governador Eduardo Riedel, do lançamento do programa estadual de reforço da segurança nas escolas .

“O poder público tem que fazer a sua parte, mas não se pode  isentar os pais  das responsabilidades deles   Não é aceitável que eles terceirizem a criação dos filhos. Antes de jogar a responsabilidade do Estado e da escola, temos que fazer a nossa parte dentro de casa. Por favor, verifiquem o celular do seu filho, a rede social dele.  É impossível a gente acreditar que os pais não saibam que no quarto do filho deles, um menino, estejam guardadas armas, símbolos do. Nazismo”, destacou Claro numa alusão ao material encontrado pela Polícia no quarto de um adolescente de 14 anos residente no Rio Grande do Sul. .

Gerson está convencido que ” temos hoje uma sociedade doente psicologicamente ,bombardeada a todo instante por uma avalanche de informações pelas redes sociais ,muitos fake news, que pregam o ódio e a intolerância ”  . Na opinião do deputado, mais do que medidas de segurança , como instalação de câmeras , detector de metal, “a responsabilidade de evitar novas tragédias como a de Blumenau ,onde 4 crianças foram assassinadas a golpes de machado por um psicopata que invadiu uma creche, tem de ser compartilhada com as famílias, insistiu.  

“Os pais têm de assumir  suas responsabilidades .Precisam cuidar dos seus filhos. Controlar o que eles vêem nas redes sociais .” Ouvi professores clamando aos pais que revistem as mochilas e fiscalizem  os celulares dos filhos.  sociedade, famílias e especialistas para encontrarmos uma solução conjunta”, disse Gerson.