sexta-feira, 23/02/2024

Prefeitura concede benefício habitacional para 230 famílias

A prefeitura de Campo Grande, por intermédio da Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários (Emha), realizou a entrega dos contratos do Programa Recomeçar Moradia para 230 famílias da Capital, no último sábado (11). O evento aconteceu durante a quarta edição do “Todos em Ação, a Prefeitura Mais Perto de Você” na Escola Municipal Professora Maria Tereza Rodrigues, no Bairro Santa Emília. Além da entrega do benefício, a Emha ofereceu os serviços de atualização cadastral e renegociação de dívidas.

O programa Recomeçar Moradia, conduzido pela agência, prevê auxílio para o pagamento de aluguel e demais custos referentes à habitação social. O benefício de R$ 500 mensais prevê três modalidades: categoria emergencial, para moradores de áreas consideradas de risco ou vindos de terrenos desocupados; vulnerabilidade social, para pessoas em situação de rua, jovens recém-saídos de serviços de acolhimento ou egressos do sistema socioeducativo; e para mulheres vítimas de violência de gênero.

A prefeita Adriane Lopes ressaltou o foco em trabalhar pelo bem-estar da população e criar soluções alternativas para contemplar famílias que necessitam de suporte. “Mais de 200 famílias estavam precisando desse benefício que através da nossa gestão, em conjunto com a Emha, tem levado soluções para os bairros com o objetivo de resolver os problemas dos moradores da nossa cidade”, afirmou a prefeita. “Nossa gestão é participativa, queremos que a população seja atendida naquilo que é o anseio e queremos que vocês tragam para nós as suas reivindicações, é por isso que estamos aqui, para ouvi-los”, reforçou Adriane Lopes.

Moradora da Vila Serradinho, Ester Delgado, 37 anos, é autônoma e vive com as duas filhas, Maria e Alice, de 10 e 2 anos. Ela explica que o aluguel é sua principal despesa, o que acaba comprometendo boa parte da renda no fim do mês. “Atualmente eu pago R$ 800,00 de aluguel, mas agora, com esse benefício, vai sobrar um dinheirinho para ajudar com as outras contas da casa”, contou.

Mãe solo, Fernanda Diniz, 38 anos, trabalha como diarista e também tem parte da sua renda comprometida todo mês devido ao valor do aluguel. “Com esse benefício vou precisar complementar só com R$ 200, já uma grande melhoria”, afirmou a beneficiada que reside atualmente no Bairro Jardim Talismã. “Valeu a pena a espera, cheguei cedo e agora vou voltar para casa mais aliviada com o contrato do benefício em mãos”, finalizou.

Para o diretor adjunto, Claudio Marques Junior, o benefício é um atendimento imediato na habitação de interesse social de Campo Grande. “O Recomeçar Moradia tem cumprido essa necessidade das famílias que buscam uma unidade habitacional, mas que no momento não há um processo de seleção em curso, por isso a importância desse benefício chegar até elas”, explicou o diretor-adjunto. “Além disso, esse recurso visa a autonomia financeira dessas famílias possibilitando que elas paguem seus aluguéis em dia, tenham mais segurança e invistam seu dinheiro na educação, na saúde e no bem-estar”, finalizou Claudio Marques.