domingo, 21/04/2024

O líder ucraniano afirmou ainda que gostaria que países da América Latina e da África, assim como China e Índia, se juntassem a uma fórmula de paz proposta por Kiev para acabar com a guerra.

O presidente da UcrâniaVolodymyr Zelensky, disse nesta sexta-feira (24), dia em que a invasão russa a seu país completa um ano, que convidou o seu homólogo brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, para visitar seu país e se reunirem pessoalmente.

Mais cedo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que é “urgente” que um grupo de países não envolvidos na guerra assuma o papel de encaminhar negociações para o restabelecimento da paz no leste europeu.

“No momento em que a humanidade, com tantos desafios, precisa de paz, completa-se um ano da guerra entre a Rússia e a Ucrânia. É urgente que um grupo de países, não envolvidos no conflito, assuma a responsabilidade de encaminhar uma negociação para restabelecer a paz”, afirmou Lula.

Nos últimos dias, o governo brasileiro tem defendido que um grupo de nações entre no cenário para fazer negociações entre os dois países do conflito.

Zelensky disse que gostaria que países da América Latina e da África, assim como China e Índia, se juntassem a uma fórmula de paz proposta por Kiev para acabar com a guerra.

“Você sabe como é difícil para mim deixar o país, mas eu viajaria especialmente para esta reunião”, disse ele sobre a perspectiva de uma cúpula com os países latino-americanos. “Eu poderia me comunicar com eles, com sua mídia, com suas sociedades.”

Lula já afirmou que o Brasil é um país de paz e não quer tomar lado na guerra do leste europeu. Para ele, a invasão da Ucrânia pela Rússia foi um “erro crasso”, mas “quando um não quer, dois não brigam”.

Ele também disse que não tem interesse em enviar armamento que possa ser utilizado na guerra. “O Brasil não quer ter qualquer participação, mesmo que indireta”, afirmou o petista no mês passado.

Em entrevista nesta sexta-feira, o encarregado de Negócios da Ucrânia no Brasil, Anatoliy Tkach, afirmou que o país “não aceitará a paz a qualquer custo” e que um eventual acordo com a Rússia depende da saída das tropas de Vladimir Putin dos territórios ucranianos.

Ligações para Putin e Zelensky

Segundo o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, na próxima semana, Lula deve falar por telefone com os presidentes da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, e da Rússia, Vladimir Putin.

Em entrevista à TV Globo, Vieira lembrou que o presidente da República conversou com Putin após o resultado do segundo turno das eleições.

“Acho que, na próxima semana, se não me engano, está já acertado um telefonema para o presidente da Ucrânia e com o presidente da Rússia. Ele [Lula] já falou antes, inclusive, logo depois de ter sido eleito. Portanto, ele [Lula] tem esses contatos, esses telefonemas e utilizará no momento oportuno”, afirmou o ministro.

CONTEÚDO G1.