Campo Grande-MS
terça-feira, 23/07/2024
Vamos fazer um novo modelo de municipalismo para melhorar indicadores de saúde e educação, diz Caravina

O Governo de Mato Grosso do Sul está criando um novo modelo de gestão municipalista visando a melhoria da prestação de serviços à população e dos indicadores na área de saúde e educação. A informação é do secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Pedro Arlei Caravina.

“Vamos fazer um novo modelo do Governo Presente. O governo Reinaldo (Azambuja) criou o Governo Presente, que é esse viés municipalista, onde o Estado investe para a população nos municípios. Isso vai continuar, agora com uma nova modelagem. Está na minha pasta, estamos trabalhando. É um novo modelo de municipalismo, onde vamos continuar investindo nos municípios, com os prefeitos, mas o Estado vai cobrar uma contrapartida, dentro de um contrato voluntário com os municípios, nos indicadores de educação e saúde, principalmente”, afirmou o secretário de governo, em entrevista nesta quarta-feira (17) à CBN Campo Grande.

“Vamos fazer um municipalismo atuante, como sempre foi, ampliando os investimentos nos municípios, mas agora cobrando uma contrapartida efetiva e  melhores indicadores. Então vamos dizer: ensino fundamental, primeira infância, o Estado vai investir, mas vai pedir melhores resultados, de Ideb, por exemplo. Vamos falar da saúde também. Vamos investir – o governador dentro do plano dele tem o apoio às unidades básicas de saúde, aos postos de saúde, melhorar a atenção básica dos municípios – além, lógico, da atenção especializada, que é a obrigação nossa. O que queremos de resultado? A melhoria dos índices, um trabalho efetivo na hipertensão, controle da diabete, são exemplos, ações que vão melhorar e desafogar a atenção especializada”, acrescentou.

Política de resultado

Na entrevista, Caravina  falou ainda da importância dos contratos de gestão dentro da política de entregas e de resultado do Governo Eduardo Riedel.

“O contrato de gestão foi idealizado pelo governador Eduardo Riedel, então secretário de Governo na gestão Reinaldo. Nada mais é do que um resumo anual das ações que cada secretaria vai fazer baseadas no Plano de Governo e que está lá no TRE (Tribunal Regional Eleitoral). O governador Riedel cobrou da gente que as ações do contrato sejam ações que realmente vão melhorar a vida das pessoas. O dia a dia da secretaria não tem que estar no contrato de gestão, isso é natural da secretaria. Ali vão as ações que estão propostas que vão melhorar a vida das pessoas, dentro das propostas, diretrizes principais do governo, que são transformar o Estado em um estado moderno, próspero, inclusivo, verde e digital”.

O secretário destacou ainda o desafio de cada vez ter um governo mais digital, com uma carta de serviços a um clique do cidadão, por meio do celular. Por meio do aplicativo MS Digital, mais de 80 serviços estaduais estão disponíveis à população.

Paulo Fernandes
Foto: Adilson Selvano/Segov

  • Campo Grande, 150 anos de História