quinta-feira, 13/06/2024
Setor de serviços registra crescimento de 5,8% em Campo Grande, aponta IBGE

Campo Grande, 17/03/2023 às 09:41

O setor de serviços, principal segmento da economia de Campo Grande, registrou crescimento de 5,8% no mês de dezembro de 2022 de acordo com Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Os dados foram compilados pela Prefeitura Municipal de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio (Sidagro) e publicado na edição fevereiro de 2023 do Boletim Econômico de Campo Grande.

No comércio, houve estabilidade. Com os dados de dezembro, a Sidagro estima que a variação do Produto Interno Bruto (PIB) tenha superado 4,5% no ano de 2022. Estes números se baseiam nos dados das Pesquisas Mensais de Serviços e Comércio do IBGE, e nos dados de arrecadação com ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza). A média nacional de crescimento do PIB foi de 2,9%.

“Mais uma vez vemos a importância do varejo para a economia de Campo Grande. Sabemos que o setor em Campo Grande é responsável por mais de 60% do PIB da Capital e 40% do PIB do Estado. Então, as políticas públicas que a Prefeitura de Campo Grande vem realizando no sentido de fomentar a Capital em hub logístico vem ao encontro da sua própria vocação”, explica o secretário municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio, Adelaido Vila.

Outro ponto importante é que o cenário de crescimento econômico se reflete na geração de empregos e na baixa taxa de desocupação. No mês de janeiro foram mais 102 novas vagas com carteira assinada geradas, com destaque para construção civil, indústria e agropecuária. O último dado sobre desemprego divulgado pelo IBGE mostra que Campo Grande fechou 2022 com índice de 3,1% de desocupação, a segunda menor entre as capitais, o que poderia indicar uma situação de pleno emprego.

O pleno emprego é conhecido como o mais alto grau do uso de forças produtivas da economia, principalmente no uso de trabalho. Este processo é possível para uma economia em constante expansão. Este cenário é considerado na macroeconomia quando toda a mão-de-obra, qualificada ou não, pode ser empregada devido ao grande impulso que deixa a economia em equilíbrio. O pleno emprego não é um nível em que o desemprego é nulo, mas que atinja um nível satisfatoriamente baixo.

Para 2023, a Sidagro estima um crescimento do PIB municipal entre 2,0% e 2,5%. Apesar de menor do que o estimado para 2022, o número da capital sul-mato-grossense é bem superior ao 0,85% projetados para o Brasil.