quarta-feira, 19/06/2024
Rede E passa por reestruturação e investimento deve chegar a R$ 2,5 milhões

Com investimentos de aproximadamente R$ 2,5 milhões que deverão ser aplicados ao longo do ano, a Rede E, emissora da Fundação Estadual Jornalista Luiz Carlos Chagas de Rádio e Televisão (Fertel) tem feito mudanças que contemplam desde a estrutura física do prédio até a grade de programação multiplataforma.

De acordo com informações do diretor-presidente, Elias Mendes, a expectativa é finalizar o ano com uma mudança real e significativa de forma a proporcionar mais conforto aos servidores com relação aos espaços físicos, qualidade de produção e transmissão para os vários veículos que fazem parte da emissora e modernidade tecnológica.

“A maior parte deste recurso é próprio, mas também temos parcerias com empresas conveniadas, fundações e até mesmo emendas parlamentares. Começamos o ano com a reestruturação do nosso estúdio de rádio e a aquisição de equipamentos importantes para o andamento das nossas produções. Também investimos em iluminação, computadores, equipamentos de áudio e obras. Nossas salas estão em fase de reforma e também nos preocupamos com a aquisição de cenários novos e espaço mais confortáveis”, contou Elias.

Durante a semana, Elias reuniu todos os diretores da Fundação e os servidores para falar sobre as mudanças empenhadas. “Se passaram seis meses da nova gestão e eu gostaria de poder explanar algumas coisas que aconteceram neste período, dar um retorno de algumas situações que vem acontecendo”, afirmou Elias.

Elias lembra que a proposta inicial ao assumir a gestão da Rede E, era trabalhar algumas etapas, a primeira delas, a formação da equipe, trazendo algumas pessoas que entendem de tv e rádio e aproveitando as que já estavam aqui, além da reestruturação, aquisição de equipamentos e reforma do prédio.

Em seguida, obras estruturais com a reforma do piso superior, que já está em andamento, da redação e do prédio como um todo, o que deve acontecer até o final deste ano. Além disso, ele destaca a aquisição de equipamentos, entre os quais, boa parte foi possível com o apoio da Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Cultura (Fapec).

Na terceira etapa destacada pelo gestor, está a grade de comunicação. “Estamos trabalhando com a direção da tv para fazer grade nova, com novos programas da casa e também da TV Cultura e EBC”, explicou Elias que na última semana esteve em Brasília onde garantiu que a programação local fosse ampliada para outras 32 cidades do Estado, levando o sinal para pelo menos 90% de Mato Grosso do Sul.

Expedição MS é Nacional

Nesta semana, a Rede E, recebeu a autorização da EBC  para levar o programa Expedição MS a exibição nacional pelo canal da Rede Brasil. Em Mato Gross do Sul, o programa vai ao ar pela Rede E em período quinzenal com reportagens especiais sobre as peculiaridades do Estado.

Novos projetos estão em fase de finalização, em busca de recursos da Lei Rouanet, do governo federal por meio do Ministério das Comunicações e Cultura.

Multiplataforma

A intenção é conseguir a convergência de mídia do conteúdo gerado pela Rede E nas diversas plataformas. Atualmente, além da grade da TV, a rede também dispõe da estrutura da FM 104,7, do Portal da Educativa e das redes sociais.

Para o diretor de rádio Jonas de Paula, a programação  em Mato Grosso do Sul é única e conta com programas tradicionalmente conhecidos por abraçar o conceito da emissora. “Não somos uma emissora puramente comercial, somos um veículo de conceito com uma audiência que só cresce graças a essas peculiaridades”, destacou.

A grade da FM 104,7 tem programas como o MPB de A a Z, Na Cadeira do DJ, O assunto é Cinema, Sala de Jazz, Blues e Derivados e o Fronteira Latina, com falas em três idiomas, contemplando o português, o espanhol e o guarani, linguagem tradicional dos paraguaios, irmãos fronteiriços do MS.

Segundo o diretor de TV, Carlos Filho, os programas em fase de projeto ainda pela Rede E contemplam temas dos mais variados, como música, cultura, informação, Turismo, Literatura, Pesca e Entrevistas. Até o fim do ano os demais investimentos deverão ser concretizados para a substituição de equipamentos. 

A diretora Gisllane, a frente da parte operacional, ressalta a importância das parcerias. “Nesta sexta-feira (21) recebemos o coordenador técnico da TV Cultura de São Paulo, Tiago Moraes, que veio para realizar um levantamento das pendências de forma a integrar o sistema com o que já existe na emissora”, explicou.

A expectativa, segundo Tiago, é de que até o fim do ano os demais investimentos deverão ser concretizados para a substituição de equipamentos e cabeamento conforme a necessidade da casa.

Vivianne Nunes, Comunicação Rede E

Foto: Vivianne Nunes