sábado, 2/03/2024

Pavimentação de rodovias no sudoeste de MS integra regiões e cria conexão com a Rota Bioceânica

Pavimentação de rodovias no sudoeste de MS integra regiões e cria conexão com a Rota Bioceânica

A pavimentação de diferentes trechos das rodovias estaduais MS-166, MS-382 e MS-270, no Sudoeste de Mato Grosso do Sul, está criando novos caminhos para melhorar o escoamento da produção agropecuária e facilitar o dia a dia das pessoas. 

Para os próximos meses, por exemplo, o governo estadual projeta concluir a pavimentação de um trecho de 13,10 quilômetros da MS-166 – o terceiro em pouco mais de um ano. A rodovia é um importante eixo de integração de Antônio João, Ponta Porã, Maracaju e região.

Os 13,10 quilômetros atendidos com a obra ficam no município de Ponta Porã, iniciando no entroncamento da MS-382 e seguindo até a MS-270, na região do distrito de Cabeceira do Apa. A obra tem investimento atual de R$ 32,9 milhões.

Os serviços iniciaram em janeiro deste ano e devem ser concluídos em janeiro de 2024, conforme prazo contratual. Neste mês de dezembro, o percentual de execução chegou a 85%, segundo a Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos de Mato Grosso do Sul), autarquia de obras públicas vinculada à Seilog (Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística de Mato Grosso do Sul).

Conforme o engenheiro Tiago Riquielme, que fiscaliza a obra, já foram concluídos os serviços de terraplenagem e preparação de sub-leito, sub-base e base. A aplicação do pavimento asfáltico está em 67%. Já as ações de drenagem profunda e superficial estão em 70% e 20%, respectivamente. Após a conclusão de todas as etapas da obra, a rodovia será sinalizada e terá o plantio de grama nas laterais.

Mais asfalto na MS-166

Recentemente, outros dois trechos da MS-166 receberam obras de asfalto do Governo do Estado, um em Maracaju e outro nos municípios de Antônio João e Ponta Porã.

Em setembro deste ano, foi concluído o asfalto em 37,53 quilômetros da MS-166, no caminho que segue da MS-460 até a BR-267, na região do Posto do Polaco, em Maracaju. A obra custou R$ 71,5 milhões. 

Já em dezembro de 2022 terminou a pavimentação de 23,76 km da MS-166, entre Antônio João e Cabeceira do Apa, com R$ 38,3 milhões.

“Essas obras ligam regiões produtivas e facilitam o escoamento da produção agropecuária de Mato Grosso do Sul. É uma demanda antiga de toda a classe produtora que vive e trabalha na região e que está se concretizando”, reforça o secretário Helio Peluffo, da Seilog.

Com as três frentes de obras, mais de R$ 142 milhões foram aplicados na MS-166 nos últimos anos, fortalecendo a logística e a integração do Sudoeste do Estado e também da região de fronteira com o Paraguai.

Conexão com a Rota Bioceânica

Além de aprimorar a malha viária na região, a pavimentação da MS-166 cria uma nova conexão com a Rota Bioceânica, através da MS-382 e da MS-270, que também recebem pavimentação.

A MS-382 passa por obras em um caminho de 77 quilômetros entre a BR-060, em Guia Lopes da Laguna, e a MS-166, em Ponta Porã. Divida em dois lotes, um com 37,72 quilômetros e outro com 39,50 quilômetros, a pavimentação recebe mais de R$ 209 milhões do governo estadual. Juntas, as duas frentes de trabalho têm mais de 83% de execução.

Já a MS-270 recebe asfalto em 35,65 quilômetros, no caminho entre Copo Sujo (MS-164) e Cabeceira do Apa (MS-166), ambas regiões de Ponta Porã. Com R$ 58,9 milhões, a obra que vai promover a ligação de Antônio João, Ponta Porã, Guia Lopes da Laguna, Maracaju e Dourados está com 82% de execução.

Bruno Chaves, Comunicação Seilog
Fotos: Agesul