sábado, 15/06/2024
Participantes do Wolbito em Casa, alunos se emocionam com encerramento do projeto

Campo Grande, 31/03/2023 às 12:25

O encerramento do Wolbito em Casa aconteceu nesta sexta-feira (31), depois de 16 semanas do projeto levado para casa por 1.690 alunos de 17 escolas. Campo Grande foi a Capital pioneira com envolvimento de crianças do Ensino Fundamental, que levaram a cápsula do Wolbachia, que combate o mosquito da dengue, o Aedes Aegypti.

Os alunos receberam no auditório da Secretaria Municipal de Educação, certificados da participação. A aluna da Escola Municipal Rachid Saldanha Derzi, Alice Vieira, de 11 anos, adorou ter feito parte do experimento e ficou emocionada ao receber o certificado. Ela relata que a família toda se envolveu no processo. “Minha mãe me ajudou a seguir o passo a passo dado pela escola e eu recomendo muito, porque o mosquito combate o vírus da dengue”.

Colega de Alice, o estudante Jovane Ronan, de 11 anos, conta ter levado a cápsula para casa. “Eu e minha mãe fizemos a ‘casa’ para abrigar a cápsula e eu gostei de ter cuidado, de ter feito parte do processo”.

A professora de Ciências de Jovane e Alice e coordenadora da Escola Rachid Saldanha, Renileide Ferreira, afirma que a maior mobilização foi dos alunos do 5º ano. “Na nossa escola, foram 120 alunos que levaram as cápsulas. São 15 dias até o mosquito se tornar adulto e voar. Alguns ainda não entendem, mas ajudaram a salvar a vida de avós, irmãos, das mães, porque é algo muito importante”.

A cápsula continha ovos de Wolbito com ração. Para cultivar, era preciso que o aluno lavasse bem uma garrafa pet, a completasse com 800 ml de água e a deixasse longe do sol e chuva e no quintal. Em 15 dias, o mosquito voava.

Segundo o gerente de implementação da Fiocruz, Gabriel Sylvestre, os alunos receberam um kit contendo um recipiente, material informativo e cápsulas com ovos do mosquito Aedes aegypti com Wolbachia, que foram “cultivados” até a fase adulta.  “Campo Grande foi pioneira neste projeto, envolvendo educação e ciência. A parte educacional foi muito forte e importante no desenvolvimento desse processo”.

O secretário municipal de Educação, Lucas Henrique Bittencourt, afirmou que com cidadania, ciência e educação, ninguém segura os alunos de Campo Grande. “Estamos trazendo um benefício para a população através dos nossos alunos. Isso para a sociedade, significa salvar vidas”. Ele parabenizou os estudantes.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Sandro Benites, sozinho ninguém faz nada. “Com essa participação das secretarias, sociedade, escolas, vamos combater essa epidemia através de atitudes. Se cada um fizer seu papel, a gente chega lá”, disse.