domingo, 21/04/2024
MS decola rumo ao Carbono Neutro com políticas de mudanças climáticas, programas e ações de sustentabilidade

Mato Grosso do Sul vive uma nova etapa na agropecuária em busca de se tornar o Estado Carbono Neutro em 2030. E isso já está sendo feito pelo Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Semadesc) com os programas de conservação do solo, pecuária sustentável e produção de animais precoces, integração lavoura-pecuária-floresta, recuperação de áreas degradadas, de bacias hidrográficas e outras ações que seguem a tendência mundial. No entanto o próximo passo vai depender das tecnologias e da inteligência dos pesquisadores e produtores em se produzir sistemas cada vez mais sustentáveis na agropecuária.

As afirmações foram feitas hoje pelo secretário da Semadesc, Jaime Verruck, durante a palestra de abertura da Dinapec 2023, feira tecnológica que acontece até o dia 24, na Embrapa Gado de Corte de Campo Grande. O evento foi acompanhado pelo governador do Estado Eduardo Riedel e diversas autoridades.

Secretário Jaime Verruck Falou sobre o MS Carbono Neutro na abertura da Dinapec

Com o tema MS Carbono Neutro, Verruck salientou que o objetivo do projeto estratégico é gerar a base metodológica para uma economia de baixo carbono em Mato Grosso do Sul, desenvolvendo e adaptando tecnologias para a redução e mitigação das emissões de gases de efeito estufa em vários setores da economia do estado, contribuindo para atingir os objetivos do Programa Estadual de Mudanças Climáticas – PROCLIMA. Isto já está sendo feito pelo Governo por meio do Manejo e Conservação do Solo e Água, Análise do CAR, Pecuária de Baixo Carbono, Energia Renovável e Práticas Agrícolas Sustentáveis e Desmatamento Ilegal Zero.

Verruck ainda salientou as ações de descarbonização que estão sendo executadas em forma de investimentos e incentivos para a adoção de energias renováveis como solar, biomassa e biometano. “A usinas de etanol e a suinocultura estão bastante avançadas na produção de biogás e biometano”, destacou. Outro exemplo citado foi da usina Adecoagro que já produz biometano e utiliza para movimentar a frota. Além desses o secretário salientou que o futuro também está no hidrogênio verde.

Para este ano, o secretário frisou que o Governo vai continuar apostando na valorização dos ativos ambientais, com a análise dinamizada do CAR, op pagamento de serviços ambientais (PSA) e mercado de carbono, além de incentivar a instalação de plantas de biogás e biometanoe subprodutos de origem animal e vegetal.

“Mato Grosso do Sul está com toda a base de Carbono Neutro pronto para decolar, pois temos politicas de mudança climática, programas e ações efetivas. Estamos aí no caminho certo”, concluiu Verruck.

Rosana Siqueira, da Semadesc

Fotos: Mairinco de Pauda