terça-feira, 27/02/2024

Junho Prata: fluxograma mostra rede de atendimento contra a violência às pessoas idosas

Junho Prata: fluxograma mostra rede de atendimento contra a violência às pessoas idosas

Com o objetivo de promover as redes de atendimento do Estado disponíveis para pessoas idosas em situação de violência, a Setescc (Secretaria de Estado de Turismo, Esporte, Cultura e Cidadania), por meio da Subsecretaria de Políticas Públicas para as Pessoas Idosas, divulga um fluxograma com a rede de apoio e proteção às pessoas idosas na campanha Junho Prata.

O documento mostra os atendimentos disponíveis no Estado e tem o objetivo de conscientizar colaboradores da campanha nos municípios, para que também se adaptem e construam as suas próprias redes de trabalho, a fim de melhorar ainda mais os atendimentos e divulgar informações de onde as pessoas idosas podem recorrer aos seus direitos.

Existem 7 tipos de violência contra a pessoa idosa; a violência física, psicológica, abuso financeiro/patrimonial, negligência/abandono, violência institucional, sexual e discriminação. O fluxograma apresenta as funções e meios de procurar às redes de atendimento responsáveis pela segurança e garantia da cidadania de pessoas idosas, como: A subsecretaria da pessoa idosa, conselhos do direito da pessoa idosa, saúde, assistência social, delegacia de polícia, defensoria pública e ministério público. 

Para a subsecretária de Políticas Públicas para as Pessoas Idosas, Zirleide Barbosa, a produção do fluxograma é um trabalho de transversalidade entre os órgãos públicos e a sociedade civil, além de ser uma demanda sugerida em conjunto. “O fluxograma quer integrar os trabalhos desenvolvidos pelas partes e promover celeridade aos atendimentos. Além disso, pode servir como modelo para os municípios do Estado.” comenta a subsecretária. 

De acordo com dados levantados pelo Tabnet (Datasus), no Mato Grosso do Sul, temos, aproximadamente, uma população “60+” de 384.247 ou 13,53% de 2.839.188 (população estimada IBGE 2022). Segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde, no ano passado foram contabilizados 937 casos de violência contra a pessoa idosa e neste ano 271 casos até o momento, a principal violência é referente a negligência e abandono.

Segundo a coordenadora do Núcleo Institucional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos (Nudedh), defensora pública Thaísa Raquel Medeiros de Albuquerque Defante, a violência contra as pessoas idosas não são casos isolados, mas sim, um reflexo de uma sociedade que ainda precisa aprender a valorizar e respeitar todas as etapas da vida humana. 

“A maior virtude da construção do fluxograma, é a oportunidade de reunião e construção conjunta de um olhar mais humano às necessidades da pessoa idosa, em todos os aspectos, com a intervenção particular de cada participante. Um fluxograma que contemple uma rede de atendimento à pessoa idosa tem a importância de dar visibilidade ao trabalho em rede no viés de prevenção, proteção e ação.” destaca a defensora.

Confira o fluxograma:

Obs: o arquivo também está disponível em PDF aqui.

Texto: Bel Manvailer, Setescc