domingo, 16/06/2024

Tendo à frente o tenente-coronel Antônio Maria Coelho, corpo expedicionário, organizado pelo presidente da província Couto de Magalhães, retoma Corumbá aos paraguaios que a ocupam desde 3 de janeiro de 1865. O Boletim de Mato Grosso em Cuiabá, deu a notícia:

O tenente-coronel Antonio Maria Coelho, que desta capital partiu a 10 do passado, atacou e enxotou de Corumbá nesse dia os inimigos invasores.

Entretanto, pelo caminho das Piraputangas, ao chegar no antigo acampamento das forças paraguaias, o tenente-coronel Antonio Maria Coelho, do 1º corpo da vanguarda das forças expedicionárias, deu vivas à S. M. o Imperador e toda a tropa partiu em marche-marche.

A ala direita, ao mando do capitão Joaquim José de Pinho, escalou a ponta da trincheira, do lado do rio, por onde o fosso não estava concluído.
O tenente-coronel, com a 6ª companhia, avançou sobre 2 bocas de fogo colocadas do outro lado da trincheira e os demais avançaram para a ponta do morro, a fim de ofender os vapores.

Após grande e renhido combate em terra, onde infelizmente sucumbiram como heróis o capitão de comissão Cruz, um cadete e seis soldados, sendo também vítimas, inclusive o coronel Cabral, o Padre e o valente tenente Roa.
Perdidas as esperanças de defesa, os dois vasos tomaram águas acima e refugiaram-se na volta do rio, onde os não podiam perseguir nossas artilharias, e daí regressaram em fugida para Assunção, às 4 horas da madrugada.
Contam-se vinte e sete paraguaios prisioneiros, e reduzidos ao seu estado de liberdade quinhentos e tantos brasileiros, entre homens e mulheres, os quais não se farão muito aqui esperar.

Como despojos deixaram-nos os inimigos oito bocas de fogo, muito armamento, munições de guerra e depósito de víveres.
tenente-coronel Hermogenes Cabral, comandante paraguaio da vila ocupada, morreu em combate, o que não impediu que fosse responsabilizado pela derrota e acusado de traidor da pátria por seus comandados e superiores.

FONTE: Estevão de Mendonça, Datas matogrossenses, 2a. edição, Governo do Estado, Cuiabá, 1973, página 287. 

CLIQUE AQUI E COMPRE O SEU EXEMPLAR