quarta-feira, 19/06/2024

13/08/2023

Engenheiro civil pela Universidade Mackenzie de São Paulo. Ferroviário, iniciou suas atividades na Noroeste do Brasil, como engenheiro residente em Três Lagoas, passando a chefe da divisão de Campo Grande, promovido em seguida a assessor do presidente da Rede Ferroviária Federal no Rio de Janeiro e, finalmente, à superintendência da empresa em Bauru.
Em 1965 elege-se na oposição (PSD-PTB), governador de Mato Grosso. Tomou posse a 31 de janeiro de 1966. Rubens de Mendonça resume o seu mandato:

Assumindo a administração inaugurou uma nova filosofia de governo. Quebrou a antiga rotina; não exonerou funcionários públicos seus adversários políticos. Seu governo tem sido um dos mais agitados de Mato Grosso. Em agosto de 1967, na Assembléia Legislativa do Estado, o deputado Júlio de Castro Pinto apresentou um projeto de resolução pedindo a decretação do impedimento do governador do Estado. Seu advogado dr. Renato de Arruda Pimenta requereu mandado de segurança, cuja liminar foi concedida pelo Tribunal de Justiça do Estado. Superada a crise do IMPEACHMENT, pode o governador Pedro Pedrossian realizar uma administração desenvolvimentista, construindo obras de vulto em todo o Estado. Não existe um só município de Mato Grosso que não possua uma obra construída em seu governo.

A nova filosofia de governo implantada pelo dr. Pedro Pedrossian mudou a mentalidade do Estado que abandonando as antigas estruturas da sociedade tradicional ou não desenvolvida, criou a imagem do Novo Mato Grosso que despertou a capacidade para assumir o controle de sua vida econômica, criando condições que possibilitara seu desenvolvimento cultural com as instalações de quatro faculdades superiores, motivando assim, as criações da Universidade Federal de Mato Grosso, com sede em Cuiabá e da Universidade Estadual de Mato Grosso com sede em Campo Grande.¹

Com a divisão do Estado, de cujo processo omitira-se, elegeu-se, em 1978, senador de Mato Grosso do Sul, pela Arena. Deixou o cargo dois anos depois para assumir o governo do Estado, nomeado pelo presidente, general João Batista de Figueiredo, em substituição a Marcelo Miranda, fechando o tumultuado ciclo do primeiro período governamental do novo Estado. É desse seu primeiro mandato em Mato Grosso do Sul o início da implantação do Parque dos Poderes.

Em 1986 perde sua primeira eleição, quando tenta voltar ao Senado, apoiando o candidato oposicionista Lúdio Coelho (PTB) ao governo, que também é derrotado.

Em 1990, retorna ao governo por eleição direta, pelo PTB, vencendo o candidato governista Gandi Jamil. A obra mais notável de sua gestão foi a implantação de Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Deixou o poder com 70% de aprovação. Em 1998 tentou voltar ao governo e foi derrotado no primeiro turno. Em 2002 perdeu a eleição para o Senado e abandonou a vida pública.

FONTE: ¹Rubens de Mendonça, Dicionário Biográfico de Mato Grosso, edição do autor, Cuiabá, 1971, página 125.

FOTO: obras do governo Pedrossian: estádio Morenão, Universidade Federal e Parque dos Poderes