segunda-feira, 26/02/2024

Governo planeja aplicar pavimento de concreto em rodovias com movimento intenso de cargas

Governo planeja aplicar pavimento de concreto em rodovias com movimento intenso de cargas

Comitiva de MS viajou ao Paraná para conhecer técnica utilizada em corredor logístico que liga o Sudoeste paranaense ao Porto de Paranaguá

Com vida útil de até 20 anos e baixo custo de manutenção, o pavimento rígido de concreto tem sido utilizado há anos em rodovias brasileiras. Segundo engenheiros, a técnica supera o asfalto quando se trata de benefícios às rodovias e também aos motoristas. Além de durar mais, o concreto proporciona maior resistência da estrada ao tráfego de veículos pesados, mais segurança contra derrapagens e melhores condições de drenagem de águas da chuva.

Embora seja comum em estados como São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e até Mato Grosso, a técnica do pavimento de concreto ainda é novidade para Mato Grosso do Sul. “É uma modernidade em termos de pavimentação que o governador Eduardo Riedel quer usar no nosso Estado, principalmente nas regiões produtoras onde existe muito movimento de caminhões com cargas pesadas”, explicou, nesta terça-feira (8), o secretário Hélio Peluffo, da Seilog (Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística).

Secretário de Infraestrutura Hélio Peluffo

Acompanhado dos diretores da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), Peluffo fez visita técnica à rodovia paranaense PRC-280, que passou recentemente por obra de restauração em pavimento rígido de concreto, no trecho entre as cidades de Palmas (PR) e General Carneiro (PR), no acesso a Santa Catarina. A estrada, que liga o Sudoeste paranaense ao Porto de Paranaguá, é considerada um dos principais corredores logísticos do Estado.

“Nessa rodovia, foi utilizada a técnica whitetopping, que consiste na restauração do pavimento onde a estrutura existente (asfalto) foi aproveitada como base para a implantação de uma camada rígida de concreto, que dá maior durabilidade, maior resistência e maior capacidade de tráfego. A expectativa é implementar isso em nosso Estado”, explicou o diretor de Projetos e Orçamentos da Agesul, Dalvim Romão Junior. 

Atualmente, Mato Grosso do Sul não possui nenhuma rodovia com pavimento rígido de concreto.

Bruno Chaves, Comunicação Seilog
Fotos: Chico Ribeiro