segunda-feira, 22/04/2024
Governo de MS e Fiems abrem discussão sobre impactos da reforma tributária

O governador Eduardo Riedel, acompanhado dos secretários de Desenvolvimento, Jaime Verruck, e da procuradora-geral do Estado, Ana Ali, recebeu nesta de quarta-feira (29) o presidente da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul), Sergio Longen, e sua equipe para discutir os impactos da reforma tributária no Estado.

Toda a discussão ocorre em nível federal, sendo de responsabilidade do Congresso Nacional decidir os rumos da reforma. Contudo, há de ser necessário a avaliação de como tais mudanças que estão sendo propostas serão absorvidas regionalmente.

Pensando neste ponto de vista, o Fiems e Governo de Mato Grosso do Sul abriram o debate sobre a questão. Uma apresentação foi realizada pela equipe da Fiems, mostrando ponto a ponto como a reforma terá impacto no Estado.

Riedel se mostrou disposto a avançar na discussão nos pontos que se mostraram benéficos para o Mato Grosso do Sul e que garantam a continuidade de investimentos e tragam segurança para os produtores locais, seguindo na linha desenvolvimentista.

Proposta é apresentada pela Fiems em reunião na governadoria

O secretário Jaime Verruck destaca que o Governo sul-mato-grossense sabe o quanto importante é a reforma tributária e tem clareza que é necessário avançar em uma nova estrutura tributária para o Brasil neste momento.

“Dentro do nosso Governo já existe um grupo, da Secretaria de Fazenda, responsável por essa análise. Contudo, nossa preocupação vai além da questão tributária em si, mas também envolve o impacto para todoo setor produtivo, como a reforma vai preservar desenvolvimento econômico e social de Mato Grosso do Sul”, frisa Jaime.

Verruck ainda completa afirmando que também existe uma segunda equipe voltada para trabalhar conjuntamente à Secretaria de Fazenda, alinhada ao setor produtivo. “Isso é para que a gente olhe a reforma tributária e garante a competitividade e continuidade do desenvolvimento em Mato Grosso do Sul”, conclui.

Já Longen destaca que a CNI (Confederação Nacional da Indústria) tem capitaneado as discussões sobre a reforma tributária na esfera nacional, criando uma agenda conjunta. Foi justamente essa agenda o que foi apresentado ao governador hoje.

“Temos algumas agendas de defesa e trouxemos ao governador a proposta como um todo e também já trouxemos a nossa discussão, relativa a industrialização de Mato Grosso do Sul e às indústrias que aqui já estão instaladas”, comenta Longen

O presidente da Fiems conta ainda que esses são os primeiros passos na discussão, convidando o Governo de Mato Grosso do Sul a dar seguimento a mesma no próximo dia 10, em encontro para debater com a área técnica da CNI e com o economista Bernardo Appy, um dos mentores da proposta de reforma defendida pelo setor.

Nyelder Rodrigues, Comunicação Governo de MS
Fotos: Álvaro Rezende