quinta-feira, 25/04/2024
Em um ano de funcionamento, CCI concentra desde o transporte coletivo até câmeras de videomonitoramento

Campo Grande, 28/03/2023 às 09:42

Comemorando um ano nesta terça-feira (28), o Centro de Controle Integrado de Mobilidade Urbana (CCI) da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), possibilita aprimorar a eficiência da mobilidade urbana, acessibilidade e melhorias no transporte coletivo em um só lugar. Inaugurado em 28 de março de 2022, o CCI monitora a operacionalização do transporte coletivo, o funcionamento dos semáforos, os equipamentos de fiscalização como lombadas e radares, além do sistema de câmeras que monitoram as principais vias da Capital.

O acionamento dos órgãos e setores competentes da administração municipal, estadual ou federal; também pode ser realizado direto do Centro ao verificar alguma situação que interfira na rotina normal da cidade, intervenção na operação do transporte público coletivo em situações especiais ou emergenciais e levantamento das inconsistências apuradas na operação do transporte público coletivo e/ou trânsito e encaminhá-las aos setores competentes para a adoção das medidas cabíveis; dentre diversas outras ações.

Por meio do Centro de Controle é possível realizar a manutenção instantânea da malha semafórica do trânsito, conforme explicou o direto-presidente da Agetran. “É um Centro Integrado onde enxergamos em tempo real tudo que está acontecendo no trânsito. Além da manutenção do semáforo, podemos verificar o andamento dos ônibus do transporte coletivo, a que velocidade vai, o itinerário, se chegou atrasado, se houve desvio na rota. Tudo fica registrado. Isso permite uma fiscalização correta e justa”, explica.

O centro possui mais de 30% do parque semafórico conectado por meio de fibra ótica e solucionou mais de 560 ocorrências em semáforos nesse um ano de funcionamento. Durante esse período, também foi possível averiguar denúncias e reclamações quanto ao itinerário dos ônibus, atendendo e verificando mais de 60 ocorrências por meio do rastreamento em tempo real do transporte coletivo.

Há também a possibilidade do cercamento virtual, por meio da leitura automatizada. Isto é, todos os veículos que passam pelo local das câmeras, independentemente de estarem acima ou dentro da velocidade permitida, terão suas placas lidas. Com isso, é possível fazer uma cerca virtual, assim, se o carro for roubado o sistema saberá e acionará os órgãos competentes.

Outra ação é a possibilidade de fazer blitz inteligente. Em vez de parar veículo por veículo, o sistema me dá a placa de quem está irregular. Desta maneira, os servidores param apenas quem for necessário, melhorando e otimizando o serviço.

Por meio das câmeras de videomonitoramento e do cercamento virtual foi possível atender 15 pedidos formais realizados pela Polícia Civil para verificação de acidentes e ocorrências no trânsito da Capital.

Para o diretor-presidente da Agetran, Janine de Lima Bruno, o Centro de Controle já era um sonho antigo dessa secretaria e, mesmo com seu funcionamento recente, já tem apresentado melhorias no tempo e na qualidade do atendimento. “A agilidade na notificação de problemas com os ônibus, semáforos e outras demandas do trânsito, concentradas em um só lugar, nos permite uma resposta rápida e assertiva à população. É isso que temos buscados, resolutividade, e o CCI é mais uma ferramenta a favor de todos”, Janine.

O centro de controle analisa 210 pontos onde os semáforos são monitorados em tempo real, além da fiscalização de 17 câmeras de monitoramento de 360 graus que foram instaladas nas vias de maior movimento de Campo Grande. No transporte coletivo, a Agetran realiza o monitoramento desde as 5 da manhã, no horário de circulação dos ônibus até a meia-noite.  A fiscalização abrange os horários das 134 linhas, onde atualmente circulam os 590 ônibus.