sábado, 2/03/2024

Em seis meses, programa garante venda de 230 toneladas de alimentos da agricultura familiar

Em seis meses, programa garante venda de 230 toneladas de alimentos da agricultura familiar

Campo Grande, 12/07/2023 às 11:56

Já são 229 mil toneladas de frutas, verduras e legumes comprados da agricultura familiar que vão direto para a mesa de famílias em situação de vulnerabilidade social. Em seis meses, a Prefeitura de Campo Grande garantiu a compra dos alimentos através do Programa de Aquisição de Alimentos, do governo federal, que é operacionalizado através da Secretaria Municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio (Sidagro).

Jeremias de Souza Curado, da Chácara Santa Cecília, é produtor e conta que o programa é garantia de venda e plantação programada. “É ter a certeza que vai escoar a produção, porque a agricultura acontece de acordo com o clima, no inverno, por exemplo, é mais difícil de vender folhas, o preço fica desfavorável para o produtor. Então, você consegue se programar para entregar essa mercadoria com um valor melhor é garantia de venda”, explica.

Ele emenda e diz que com isso pode se programar, inclusive, para investimentos na produção e na própria família. “ Dá para assumir um compromisso de investimento na produção ou mesmo em melhorias dentro de casa, porque sei que vou receber. Este ano já entreguei limão, abacate e vou entregar salsa, cebolinha, coentro e couve”, conta.

Quem também vê no programa uma certeza de melhoria de vida é Veimar Izaias Simões, da Associação Sucuri. “O programa é de grande importância pra gente, é uma ajuda enorme. Este ano para mim foi maravilhoso, porque eu estava precisando muito. Em entrego de hortaliças a caixaria, são cerca de 12 produtos diferentes que eu entrego”, diz.

O programa, que é uma parceria com a Secretaria de Assistência Social (SAS), também beneficia mais de 21 mil famílias que vivem em situação de insegurança alimentar. A SAS possui 40 unidades que atendem 8.441 famílias e 55 unidades conveniadas que atendem 12.915 famílias, totalizando 95 unidades impactadas.

Dona Maria Madalena, usuária do CCI Piratininga, diz que a entrega complementa a alimentação do dia a dia. “Essa ajuda que vocês dão para nós aqui no CCI Piratininga é ótima, porque a gente precisa se alimentar direito e não temos como comprar tudo que precisamos com o salário que recebemos. Então as frutas, os legumes nos ajudam muito a manter a nossa saúde”, diz.

Quem também aprova a iniciativa é Maria das Graças. “Sou frequentadora do CCI Piratininga e essas verduras e legumes são muito vindas na nossa alimentação. Sou muito grata por tudo que recebo aqui”, conclui.

Para o secretário da Sidagro, Adelaido Vila, o programa desempenha um papel fundamental no sentido de criar um elo entre o desenvolvimento econômico e a assistência social. “Conseguimos fazer com que o pequeno produtor tenha condições de criar, com a nossa supervisão, um produto de qualidade, que permite que ele possa comercializar direto com o governo federal, entregando os produtos no município. Já a SAS vai receber e atestar a qualidade desse produto e distribuir para as pessoas que realmente precisam. Nosso aprendizado principal aqui em Campo Grande é a união das duas pastas para o bom resultado desse programa”, pontua.

Já o Secretário de Assistência Social, José Mário, reforça a importância da parceria da SAS com a Sidagro. “O nosso objetivo está sendo alcançado, que é promover o acesso à alimentação para as famílias que vivem em insegurança alimentar, a parceria com a Sidagro está fazendo a diferença não só na vida das pessoas em situação de vulnerabilidade, mas também para os produtores. Só temos a agradecer a Prefeita pelo apoio”, afirma o secretário.

PAA

O Programa de Aquisição de Alimentos garante até R$ 12 mil, ao ano, para os participantes. Em Campo Grande, são 109 produtores, sendo 72 homens e 37 mulheres. Desde o início do programa, já foram entregues 228.993 toneladas de alimentos entre frutas, verduras e legumes, que beneficiam mais de 21 mil famílias inscritas em entidades assistenciais, impactando diretamente na vida de 65 mil pessoas.