segunda-feira, 22/04/2024
Em parceria com a PMA, ação usa até bonecos para salvar animais na principal rodovia do Pantanal

Ao passar por Aquidauana pela rodovia BR-262, ainda faltam 277 km para a chegada em Corumbá, trecho aberto em meio ao Pantanal e sua diversidade – o que de pronto já indica que são muitos os animais silvestres atravessando a pista. Infelizmente, a combinação destes com os veículos em alta velocidade acaba sendo fatal.

Contudo, ações diversas tentam mitigar esses danos, envolvendo iniciativa pública e privada em projetos que contam com câmeras para aumentar o monitoramento e até com bonecos à beira da pista, com bandeiras de alerta para os motoristas.

Na esteira das ações do Estrada Viva, programa do Governo de Mato Grosso do Sul visa preservar a fauna nas rodovias estaduais, PMA (Polícia Militar Ambiental) e IHP (Instituto Homem Pantaneiro) fecharam neste ano parceria com foco na BR-262, estrada que é de responsabilidade federal e tem o trecho entre Aquidauana e Corumbá como o mais crítico quanto a atropelamentos de animais.

A parceria tem vários eixos, sendo um deles o de intervenções diretas e indiretas. Uma das ações consiste na instalação de bonecos uniformizados de laranja, com bandeiras vermelhas de alertas nas mãos, à beira da pista, nos pontos identificados como os mais críticos e de constante travessia de animais.

Técnica já usada com frequência em obras rodoviárias, o objetivo é que ao ver os bonecos os condutores reduzam a velocidade e aumentem o nível de atenção, evitando acidentes e protegendo assim a fauna pantaneira.

“Qualquer ação feita é sempre relevante, já que existe ali na região pantaneira uma quantidade enorme de animais atravessando a pista, devido a sua grande fauna”, comenta o chefe da Comunicação da PMA, tenente-coronel Ednilson Paulino Queiroz, que além de policial é biólogo com doutorado em Ecologia e Conservação.

Bonecos na rodovia servem como alerta para motoristas

Além dos bonecos, a parceria entre PMA e IHP vai permitir a instalação de câmeras na rodovia que vão registrar a rotina dos animais na rodovia. Já há câmeras instaladas em alguns trechos, sendo que nestes os cartões de memória das câmeras já instaladas estão sendo coletados para embasar os pesquisadores do IHP.

A PMA também vai intensificar a frequência de barreiras educativas, realizadas especialmente nos postos localizados BR-262. Um desses postos fica no Buraco das Piranhas, em Miranda, local de passagem obrigatória para quem vai à Corumbá.

“É uma rodovia com histórico de muitos atropelamentos e precisamos interromper esse processo, que é o segundo maior motivo de extinção de espécies. Por isso precisamos avançar com essas ações integradas, minimizando esses estragos que estão destruindo esse nosso grande ativo”, explica o presidente do IHP, Angelo Rabelo.

Angelo conta também que atualmente há seis túneis pontos de passagem de animais diversos, como onças, servos e queixadas, por exemplo. “A PMA nos ajuda nesse sentido com a vistoria desses pontos, um trabalho de prevenção”, conclui.

Estrada Viva

Nas estradas estaduais, essas de responsabilidade do Governo de Mato Grosso do Sul, está em implantação o programa Estrada Viva. O projeto piloto ocorre na MS-345, conhecida como Estrada do 21, ligando Anastácio – a partir da BR-419 – até Bonito.

Ali, a pista pavimentado está sendo construída considerando as normas do programa, com seis pontos de passagem específicos ao longo da estrada, que tem pouco mais de 100 quilômetros. A rodovia, quando estiver concluída, será o principal acesso ao município de Bonito, diminuindo do tráfego na MS-382 e MS-178.

O monitoramento permanente das rodovias estaduais ocorre ainda nas MS-040, MS-339, MS-178, MS-382, MS-180, MS-473, MS-450 e MS-258, além da Estrada do Turismo, que é do município de Bonito e dá acesso ao rio Formoso.

Nyelder Rodrigues, Comunicação Governo de MS
Fotos: Divulgação IHP