Campo Grande-MS
terça-feira, 23/07/2024
Destaque na produção de energia renovável, MS tem cadeira efetiva em Conselho Nacional de Eficiência Energética

Com políticas efetivas de incentivo a energias renováveis, Mato Grosso do Sul é destaque em conselho nacional de energia. Representando o Governo do Estado, o secretário Jaime Verruck, da Semadesc (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação), participou na manhã desta terça-feira (4), de reunião do FME (Fórum Nacional dos Secretários de Minas e Energia). Verruck foi escolhido em maio como vice-presidente regional do Concepe (Conselho Consultivo da Empresa de Pesquisa Energética), representando a Região Centro-Oeste.

A reunião contou com a presença do ministro de Minas e Energia Alexandre Silveira e mais 15 estados da federação. Durante o evento foram apresentados os novos vice-presidentes e representantes do CNPE e EPE, entre eles o titular da Semadesc. De acordo com o secretário Jaime Verruck, Mato Grosso do Sul passa a ter agora uma cadeira no Conselho de Energia. “Isso é muito importante para que se possa fazer uma discussão sobre transição energética, energia renovável no País e em Mato Grosso do Sul”, afirmou.

O Concepe é um dos órgãos estatuários previstos na lei de criação da EPE e figura como um importante instrumento de participação social, representando o elo entre os principais agentes do setor energético e as atividades desenvolvidas pela EPE.

Secretário Jaime Verruck é vice-presidente regional do CONCEPE (Conselho Consultivo da Empresa de Pesquisa Energética), representando a Região Centro-Oeste

O primeiro destaque da reunião, segundo Verruck, foi a discussão sobre a transição energética. “Ficou muito claro o papel que o Ministério tem neste processo de estimular a energia solar, a energia eólica, o hidrogênio e o biocombustível. Ou seja, outras fontes de energia que não sejam os combustíveis fósseis”, salientou Verruck. Também foi sugerida pelo ministro neste momento, a necessidade de ampliação da produção de gás natural no País. “O ministro destacou o comprometimento que ele tem com o Plano Nacional de Fertilizantes que visa reduzir a dependência externa dos produtos, principalmente dos nitrogenados. Além disso ficou claro o interesse em aumentar a oferta de gás natural no País e também reduzir o preço do gás para poder incentivar o uso’, citou.

Essas ações fazem parte do Programa Gás para Empregar, que visa o aumento no uso do gás natural com queda nos valores e liberação do mercado. “Esta é uma linha forte que o Governo tem colocado”, enfatizou. A finalização de algumas concessões, como no Rio de Janeiro e Espírito Santo também foi debatida.
Ainda conforme o secretário, o ministro discorreu sobre a segurança energética. “Existe uma preocupação de que o País além de ter uma transição energética, amplie também o trabalho de segurança energética”, acrescentou.

Na reunião foi criado também um grupo de trabalho no âmbito do Conselho Nacional de Pesquisa Energéticapaara tratar da regulação do mercado de hidrogênio. “Existe um grande potencial, uma perspectiva de mercado mas não existe nenhuma regulação. Então a partir de agora o Ministério começa a trabalhar com a participação do Fórum na regulação do mercado de hidrogênio verde”, finalizou.

Rosana Siqueira, da Semadesc
Fotos – Thais Guimarães

  • Campo Grande, 150 anos de História