segunda-feira, 22/04/2024
Da cura da depressão a vendas no exterior, incubadoras acumulam história de superação e sucesso
Foto: Karine Matos

Campo Grande, 06/04/2023 às 09:30

Mais uma incubadora municipal começa a ser reformada. Nesta quarta-feira (5) foi a vez da incubadora Norman Edward Hanson ter a ordem de serviço assinada, serão R$ 435.529,25 investidos na obra do local que é casa de empresas que começaram de porta em porta e hoje vendem até para países vizinhos.

Das outras duas Incubadoras, a do Zé Pereira será a última a ser reformada e a Incubadora Mário Covas está finalizando a reforma e neste mês deve ser entregue à população. Juntas, as quatro incubadoras municipais de Campo Grande acumulam diversas histórias de superação e sucesso.

Foi nas salas da incubadora Norman Edward Hanson que Rui Murilo Gavilan e sua esposa começaram a Vó Ermínia, empresa de conservas, temperos e condimentos que vende para 7 estados brasileiros e dois países da América do Sul.

“Nós viemos para esta incubadora em 2005. A sala que a gente trabalhou é esta aqui. Eu e minha esposa começamos vendendo ovos de codorna informalmente e aqui formalizamos nossa empresa. Nós não tínhamos condições de ter uma estrutura adequada para uma empresa de alimentos e aqui a gente teve um local apropriado para produzir de forma segura. Tivemos capacitações aqui, participamos de feiras e eventos e a coisa foi crescendo, graças a Deus, e hoje nós estamos em um terreno lá no Paulo Coelho Machado que também foi cedido pela Prefeitura, através do PRODES. Estamos há mais de 10 anos na nossa sede e hoje vendemos para 7 estados e dois países: Paraguai e Bolívia. Isso aqui vale muito, foi aqui que a gente teve a oportunidade de formar nossa empresa”, afirmou.

Como ele, mas na Incubadora Zé Pereira, Lucia Helena Martins dos Santos, que foi graduada em 2021 no segmento de artesanato na confecção de bonecas e pesos de porta, viu sua história ser transformada.

“Eu sou proprietária da empresa Entre Fios e Panos. Eu comecei meu artesanato através do posto de saúde. Eu tratava depressão e aí a enfermeira me encaminhou para o CRAS do meu bairro para eu participar das atividades. Comecei o artesanato, minha primeira professora, inclusive, foi a Jane Arguello, que por coincidência eu a encontrei anos depois na Sidagro. Então, eu comecei na SAS, depois fui para a Sidagro onde aprendi a empreender. Fui perdendo a mentalidade de dona de casa e fui crescendo. Estou muito feliz com o resultado”, afirmou.

O secretário municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio, Adelaido Vila, frisou que a reforma vai trazer mais oportunidades de se contar histórias de sucesso.

“As incubadoras nasceram em Campo Grande em 2004 e até então nós tivemos obras de manutenção e não obras de reparação e de adequação. A nossa prefeita Adriane Lopes mais uma vez inova trazendo para nós essa reforma que vai ajudar incubar muito mais empresas com a capacidade de gerar excelentes resultados. Esse é um momento muito especial para toda a comunidade. Mais do que uma reforma da parte estrutural nós precisamos que a comunidade ocupe esse prédio, participe, busque informações. Tudo que é feito dentro deste local é para injetar desenvolvimento, valorizar as pessoas e melhorar emprego e renda”, afirmou.

Presidente do Bairro Santa Emília, Júlio Cesar Vera Gonçalves, disse que a assinatura da ordem de serviço é muito importante para o bairro e toda a região. “Daqui desta incubadora saíram vários empresários, é de grande importância este momento, e muitos outros vão sair”, afirmou.

O secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Domingos Sahib Neto, falou da importância das incubadoras e dos trabalhos que serão realizados na obra. “Aqui na incubadora Norman Edward Hanson será feita reforma na alvenaria, pintura das paredes internas e externas, reposição de telhas e troca de calhas, rufos e forros. Troca de portas e toda a hidráulica e elétrica. A calçada será refeita com rampas de acessibilidade. Uma reforma geral para trazer à população conforto e oportunidades. Tenho certeza que muito mais pessoas que estão precisando de apoio terão aqui um espaço para crescer e ter sucesso”, frisou.

Histórico

Implantadas em 2004, as incubadoras municipais já passaram por pequenas reformas. Agora, elas vão ser completamente reestruturadas para a 3ª geração, além dos elementos disponibilizados nas Gerações anteriores, agora o foco também está no networking e na atuação em rede para o melhor desenvolvimento da empresa incubada. 107 empresas já passaram pelas incubadoras, 29 foram graduadas.

Em Campo Grande, as incubadoras atendem áreas de tecnologia, alimentos, artesanato, têxtil e setores afins. Entre os serviços estão um ambiente de capacitação, assessorias nas áreas de marketing, direito, gestão, propriedade intelectual, troca de experiências com mentoria e co-workings, auxílio na busca de financiamentos e investimentos, além de desenvolvimento pessoal para fazer o negócio se tornar uma empresa transformadora e de sucesso de mercado.

No Brasil há cerca de 360 incubadoras, dos tipos tradicionais, tecnológicas, mistas e sociais.