quinta-feira, 23/05/2024
Copa Brasil de Paracanoagem teve disputas eletrizantes no Parque das Nações Indígenas

Foram dois dias agitados no Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande, com a realização da primeira etapa da Copa Brasil de Paracanoagem, contando com mais de 70 atletas na água. Grandes nomes da modalidade marcaram presença, com disputas eletrizantes, valendo vaga ao Mundial e Copa do Mundo de Paracanoagem. O evento foi organizado pela CBCa (Confederação Brasileira de Canoagem) e teve apoio do Governo de Mato Grosso do Sul, por meio da Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer) e Setescc (Secretaria de Estado de Turismo, Esporte, Cultura e Cidadania).

A prova de destaque foi na classe VL2 masculino, entre o campeão paralímpico sul-mato-grossense Fernando Rufino (CRA) e o campeão mundial Igor Tofalini (ICL), representando o Paraná. Depois de muita emoção, o paranaense levou a melhor sobre Cowboy de Aço. A final da classe teve seis canoístas na água. Rufino saiu na frente, mas nos metros finais foi superado por Tofalini, que chegou à marca 49s090. Esta é a terceira disputa direta da dupla em finais, que se enfrentaram também no Pan-Americano e Mundial.

“Todo dia é uma disputa pra gente, treinamos juntos em Ilha Comprida (SP), então sempre estamos dando o máximo. Me sinto privilegiado de treinar ao lado de grandes atletas como ele [Rufino]. Essa boa disputa pra mim faz com que eu entre na água diariamente com mais coragem, e com a vontade de ganhar mais medalha. E é importante essa disputa também, porque faz a gente crescer com certeza”, destacou Tofalini.

Tofalini e Rufino protagonizaram a prova mais emocionante da Copa

Finalizando o percurso de 200 metros na canoa com a marca de 50s080, a menos de um segundo de diferença de Tofalini, Fernando Rufino, atual campeão paralímpico na VL2, quer virar o jogo até a Olimpíada de Paris02024. Já no caiaque, pela disputa da classe KL2, o peão pantaneiro está mais tranquilo, fechando a prova com o tempo de 43s010 e ficou com o ouro. A prata foi para Uilian Ferreira Mendes (IBRES) e o bronze com Flavio Reitz (ANI).

“O Tofalini é um grande campeão, um cara responsável demais. Um cara que eu espelho muito pela qualidade e técnica. Ele é campeão mundial, eu também sou, nós estamos no esporte é para competir, dentro da água somos adversários, fora somos compadres. Agora, é aprender a fazer o leme, para finalizar melhor a prova”, salientou o Cowboy de Aço de Mato Grosso do Sul.

Foram dois dias de disputa, no sábado (18) e no domingo (19), com o total de 30 provas nas categorias KL1, KL2, KL3 (caiaque), VL1, VL2, VL3 (embarcação Va’a – canoa havaiana), KLT1 e KLT2 (caiaque), nos gêneros feminino e masculino.

Parceria de sucesso

Pelo segundo ano consecutivo, Mato Grosso do Sul foi sede da Copa Brasil de Paracanoagem, evento que abriu o calendário nacional da modalidade paralímpica. Nesta edição, a parceria entre Governo do Estado e CBCa cresceu e o resultado superou todas as expectativas.

“O Governo de Mato Grosso do Sul é parceiro de primeira hora do esporte aqui no Centro-Oeste. Eles abraçaram a nossa causa de trazer este evento mais uma vez pra cá. Então a gente só tem a agradecer por essa parceria, por tratar o esporte muito bem. E ao mesmo tempo estamos conseguindo seguir com a nossa proposta de descentralização, sair do eixo de grandes capitais e levar o esporte para as outras regiões e popularizando ainda mais a canoagem”, disse Rafael Girotto, presidente da CBCa.

Herculano Borges e Marcelo Miranda prestigiaram de perto o evento

Junto à Copa Brasil no Parque das Nações Indígenas, Fundesporte e Setescc organizaram o Festival de Verão no Parque, com uma série de atividades esportivas e de lazer à população de todas as idades. “O que está dando certo a gente tem que manter e ampliar. Iniciamos essa parceria com a Confederação, oferecendo as melhores condições para receber os atletas. Ficamos muito felizes em poder fazer parte deste evento e Mato Grosso do Sul sempre estará à disposição para realizar competições desta magnitude”, enfatizou o diretor-presidente da Fundesporte, Herculano Borges.

O secretário de Estado de Turismo, Esporte, Cultura e Cidadania, Marcelo Miranda, destacou o resultado expressivo que a competição trouxe para a CBCa e para o Estado, evidenciando a modalidade e aquecendo a economia e o turismo local. “Nós temos um olhar muito grande para o paradesporto em Mato Grosso do Sul, com bons resultados. A vinda deste evento é um reconhecimento do esforço dos nossos atletas e do Governo do Estado em trazer grandes competições esportivas, que também motivam os atletas, atrai novos atletas e, além disso, gera um fluxo turístico e econômico para o estado”.

Quem também acompanhou de perto as disputas no lago do Parque das Nações Indígenas foi o deputado federal Beto Pereira, parlamentar que é membro da Comissão de Esportes da Câmara Federal. “O incentivo ao esporte, através da exposição com eventos como este aqui em Campo Grande, mostrando o que há de melhor, é de fundamental importância. Isso incentiva os que querem iniciar no esporte, e também demonstra a pujança de Mato Grosso do Sul no cenário nacional. A gente vê vários atletas de renome que são filhos da terra e, portanto, é algo que é motivo de muito orgulho”.

De acordo com a CBCa, nos próximos dias será divulgada a lista dos atletas que irão representar o Brasil no Campeonato Mundial de Paracanoagem e na Copa do Mundo será constituída a partir de resultados obtidos na Copa Brasil de Paracanoagem. A Copa do Mundo acontecerá em Poznán (Polônia), entre os dias 26 e 28 de maio, e o Mundial será realizado em Duisburg (Alemanha), de 23 a 27 de agosto.

Confira todos os resultados da Copa Brasil de Paracanoagem:

Resultados finais – 1ª etapa da Copa Brasil de Paracanoagem 2023

Lucas Castro, Fundesporte e Fábio Canhete, CBCa
Fotos: Divulgação/CBCa