quinta-feira, 13/06/2024

Em coletiva de imprensa de seu tradicional cruzeiro musical ‘Emoções em Alto-Mar’, Roberto Carlos revelou que está namorando. “Mas não vou dizer quem, não”, avisou, rindo.

Após três casamentos (com Nice, Myriam Rios e Maria Rita), o cantor não descarta nova união. “Isso depende da pessoa que eu encontre, decidir se vou ou não casa de novo. Não tenho nada contra. Casamento é uma coisa saudável. Depende de como se dá o casal.”

Enquanto a mídia não descobre a identidade da nova musa de RC, o Sala de TV relembra sua primeira namorada. A felizarda foi a atriz Maria Gladys.

“Fomos namoradinhos na adolescência. Fui apaixonada por ele. Foi tão bom, éramos jovens, tínhamos 16, 17 anos”, contou ao jornal ‘Extra’.

“Na época, ele estava começando e a gente fazia um programa na TV Tupi. Quando ele estourou mesmo, eu não era mais namorada dele.”

A atração citada se chamava ‘Clube do Rock’, um show de novos talentos apresentado por Carlos Imperial. Maria dançava no palco. Roberto Carlos cantava em busca do reconhecimento artístico.

Os dois tomaram caminhos diferentes. Ele se tornou o mais popular e um dos mais ricos cantores do Brasil. Ela construiu uma carreira de altos e baixos entre a teledramaturgia, o teatro e o cinema.

Quando namorou o futuro ‘Rei’ do romantismo, Maria Gladys já tinha um filho. Havia dado à luz aos 15 anos, quando morava no subúrbio do Rio, longe do glamour do calçadão das praias na zona sul.

Em aparição na TV Record, em 2021, ela confessou ter esnobado o namoradinho que sonhava com o estrelato. “Eu só queria saber de teatro”, disse. Reencontraram-se algumas vezes em shows nas décadas seguintes. “A gente se ama.”

Logo no início da carreira de atriz, Gladys atuou ao lado de Fernanda Montenegro. Poucos anos depois, ao protagonizar a peça ‘O Chão dos Penitentes’, surgiu no cartaz com os seios à mostra.

Aquele gesto de liberdade e ousadia rendeu seguidos convites para filmar com grandes cineastas. No início da década de 1980, ela foi descoberta pela televisão. Fez produções de sucesso como ‘Bandidos da Falange’ e ‘Grande Sertão: Veredas’.

Ficou conhecida nos quatro cantos ao interpretar a desbocada empregada doméstica Lucimar na novela ‘Vale Tudo’, de 1988. O público vibrava com as cenas em que ela batia boca com a vilã Maria de Fátima (Gloria Pires).

Apesar de talentosa e querida nos bastidores, Maria nunca conseguiu um papel principal na TV. Quando os convites começaram a rarear e ela se viu agoniada todo mês para pagar o aluguel, decidiu se mudar do Rio.

Instalou-se no sítio comprado por uma filha em uma pequena cidade de Minas Gerais. Vive de uma aposentadoria. “Aqui eu tomo minha cerveja, fumo minha maconha, porque eu sou da geração de Woodstock”, contou em uma entrevista.

O último trabalho na televisão foi o seriado ‘Pé na Cova’, escrito e estrelado por seu amigo Miguel Falabella. Em 2022, Gladys voltou ao Rio para rodar ‘A Fúria’, de Ruy Guerra.

Ainda inédito, o filme gerou manchetes depois do vazamento de fotos que mostraram um sósia do então presidente Jair Bolsonaro com a garganta cortada, caído ao lado de uma moto.

Aos 83 anos, Maria Gladys acompanha à distância o sucesso de sua neta Mia Goth. Nascida em Londres, a atriz de 29 anos é a nova diva do cinema de terror. Está nos longas ‘X’ e ‘Pearl’, entre outros. 

Em entrevista a ‘Cultured Magazine’, Mia disse que a avó brasileira é sua maior inspiração. “Ela tem uma vida incrível, passou por muita coisa e sempre me encorajou a expandir meu universo.”

CONTEUDO TERRA