sábado, 13/04/2024
Central de Processamento de Alimentos será reformada e garantirá mais benefícios aos agricultores familiares

Campo Grande, 01/04/2023 às 09:24

A Central de Processamento de Alimentos passará uma reforma geral para se transformar em um centro de comercialização e distribuição da produção agropecuária de micro e pequenos produtores cadastrados no Programa de Aquisição de Alimentos em Campo Grande.

O anúncio foi feito nesta sexta-feira (31) pela prefeita de Campo Grande, Adriane Lopes, durante o Workshop Programa de Aquisição de Alimentos, promovido pela Secretaria Municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio (Sidagro), para capacitar os produtores.

A capacitação teve como objetivo passar instruções para que as entregas dos alimentos tenham cada vez com mais qualidade e eficiência, evitando perdas tanto na logística quanto na produção.

“Nós estamos buscando neste workshop preparado para os produtores a melhora da nossa produção, para que possamos embalar melhor e entregar cada vez mais garantindo renda para todos. O nosso grande objetivo e a missão que a nossa prefeita nos determinou é que nós melhoremos cada vez mais a agricultura familiar e essa é uma responsabilidade que eu trato com muito carinho, com muita atenção”, disse o secretário municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio, Adelaido Vila.

O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do governo federal, que é operacionalizado pela Prefeitura de Campo Grande, por meio Sidagro, vem garantindo a expansão da agricultura familiar na capital sul-mato-grossense. O PAA assegura a compra de parte da produção de 109 produtores familiares. São 226,663 toneladas de alimentos que serão distribuídos ao longo do ano a mais de 21 mil famílias, garantindo melhoria alimentar na mesa de mais de 65 mil pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade social.

Cerca de 80 toneladas já foram entregues entre janeiro e março. O produtor José Roberto de Oliveira, que participa do programa, falou da importância de manter o negócio familiar. “Nós trabalhamos aqui na roça há mais de dez anos e hoje nossa produção é voltada para produtos orgânicos, temos frutas legumes e folhas. O PAA é um excelente negócio para a agricultura familiar, porque temos a garantia da compra da nossa produção”, salienta.

A prefeita de Campo Grande, Adriane Lopes, disse que este é um dos principais desafios de sua gestão, mas que ela está focada em soluções. “Estamos com um grande desafio que é fortalecer e expandir a agricultura familiar na nossa capital, nós temos o cinturão verde, mas não basta ter, precisa ter continuidade, precisa ter produção, precisa ter para quem vender e esta é a nossa missão. Vamos implementar na nossa Capital, onde era o antigo CPA, a Coordenadoria de Inclusão Produtiva e Segurança Alimentar, para que vocês possam ter um lugar para levar os seus produtos e comercializar”, disse Adriane Lopes.

A proposta de reforma e adequação da Central de Processamento de Alimentos visa o fortalecimento da agricultura familiar, ampliação do mercado de alimentos, o fomento a produção, abastecimento e consumo no município. A melhoria da infraestrutura de armazenagem e transformação da produção oriunda da agricultura familiar, vinculada ao PAA, por meio de obras e serviços de engenharia, permite a melhoria da qualidade dos produtos agrícolas, sua transformação, comercialização e distribuição.

Grande incentivadora do agronegócio, a senadora Tereza Cristina, afirmou que, mais do que falar bonito, o importante é a ação. “É isso que você tem feito (prefeita) e com certeza eu espero que você juntamente com toda sua equipe possa fazer cada vez mais pelos produtores aqui do nosso município. Para mim é muito gratificante quando a gente vê acontecer. Tivemos a felicidade de encaminhar R$ 1,3 milhão para o PAA e já estamos trabalhando para arrumar mais recursos para que mais famílias possam receber”, disse.

Presidente da Câmara Municipal, o vereador Carlão, disse que a gestão faz diferente por estar levando saúde e alimento para a população. “Essa administração investe e isso é saúde, é alimento, é riqueza. Em um país onde tantas pessoas passam fome, aqui se faz diferença. Temos trabalhado para melhorar a qualidade de vida do nosso povo”.

O secretário municipal da Assistência Social, Zé Mário, agradeceu a parceria e lembrou que sempre sonhou em trabalhar no campo. “Meu sonho era ser agrônomo, mas devido às circunstâncias da vida eu fiz administração. Mas Deus me deu o privilégio de estar hoje aqui na ponta e conhecer as pessoas mais vulneráveis e poder ajudar, e isso é um motivo de muita emoção. Os produtores rurais fazem muita diferença na vida das pessoas”, afirmou.

Uma dessas pessoas é dona Balbina da Silva, moradora da Aldeia Água Bonita, que recebe a cada 15 dias uma cesta de alimentos. ““Eu estou nesse programa há dois anos e só tenho que agradecer porque nunca tem faltado alimento para nossa família”, contou.

Parceiro do evento, o presidente do Sindicato Rural de Campo Grande, Alessandro Coelho, fez questão de frisar que a Capital é uma cidade feita de pequenas produções e o olhar da atual gestão faz muita diferença. “Este foco que a prefeita está dando sempre foi muito esquecido aqui na nossa capital. A gente precisa disso e vocês trazem essa força para podermos trabalhar juntos aos órgãos públicos”, conclui se dirigindo aos produtores.