quinta-feira, 13/06/2024
Assistentes Educacionais de Educação Infantil da Reme recebem formação continuada sobre cultura afro e indígena

Campo Grande, 19/07/2023 às 13:00

A Prefeitura de Campo Grande por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), ofereceu nesta terça-feira (18), na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), mais uma formação continuada para assistentes educacionais infantis dos grupos 3 e 4 da Rede Municipal de Ensino (Reme), sobre a obrigatoriedade do ensino da “história e cultura afro-brasileira e indígena” no currículo escolar da educação básica.

A formação atende a lei 10.639/2003 e 11.635/2008, que trata sobre a prática pedagógica da educação infantil e alterou o artigo 26 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), trazendo em seus parágrafos 1º e 2º a obrigatoriedade do ensino da “história e cultura afro-brasileira e indígena” no currículo escolar da educação básica. Desde então, as respectivas leis têm favorecido a compreensão de que é preciso construir representações sociais positivas que valorizem as diferentes origens culturais da população brasileira no contexto escolar e com isso, permita a manifestação criativa e transformadora da diversidade como forma de superar situações de preconceito e discriminações étnico-raciais.

Para a assistente Larissa Duarte Prado, que atua na EMEI Juracy Galvão, a formação veio para que as profissionais possam desenvolver com os alunos questões de processos e identificação. “É excelente para que possamos nos embasar e abordar os temas afros e indígenas durante todo o ano, não somente em abril no dia do índio ou em outubro, no mês da consciência negra”, concluiu.

Já a técnica e palestrante Erika Costa Lima, falou sobre o porquê dos temas escolhidos. “Se tratarmos essas questões desde cedo, com nossos alunos, eles já irão crescer sabendo respeitar e também tratar desses assuntos com naturalidade e seriedade que é preciso”, enfatizou.

O chefe da Divisão de Educação e Diversidade Felipe Augusto da Costa Souza, ressaltou a importância de políticas específicas perpassarem pela educação infantil. “Este é o período onde as crianças começam a construir sua identidade, então se faz necessário que saibam tratar as diferenças entre elas, tanto em relação a raça, como a cor. Essa formação vem para somar, pois as assistentes acompanham os alunos na maior parte do tempo”, finalizou.

Segundo a Superintendente de Políticas Educacionais, Ana Cristina Cantero Dorsa, as temáticas apresentadas fazem parte de uma série de formações que acontecem durante todo o ano na Reme, para todos os profissionais da Educação. “Este momento foi pensado para despertar o cuidado e a sensibilidade para o trabalho com essa temática, tão importante na formação continuada, além  de refletir sobre as atividades desenvolvidas dentro de suas unidades escolares”, conclui.