quinta-feira, 13/06/2024
Agems consolida ações que garantem água de qualidade e preservação dos mananciais

No Dia Mundial da Água, a Agems (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos) está em campo, realizando mais uma ação fiscalizadora que consolida os cuidados com o abastecimento adequado à população e a preservação ambiental.

No fornecimento de água tratada e de esgotamento sanitário, a agência está presente para garantir a oferta do melhor serviço pela prestadora. Neste 22 de março, em que o mundo celebra esse recurso vital, a equipe está atuando nos munícipios de Caracol e Porto Murtinho, na região Sudoeste do Estado.

“É um trabalho que não para. Temos um detalhado planejamento técnico para as fiscalizações programadas, garantindo a inspeção em todos os municípios atendidos pela Sanesul e agora também sistemas autônomos das Prefeituras com que estamos firmando convênios”, conta a Diretora de Saneamento Básico e Resíduos Sólidos, Iara Marchioretto.

Água tratada e saúde

A comemoração do 22 de março para a equipe é com muito trabalho. “Fazemos a verificação dos sistemas de abastecimento de água, desde a captação, seja em rio ou poços, o tratamento, as condições de laboratório, a reservação e a distribuição, para garantir a qualidade adequada do que é entregue à população”, enumera o coordenador da Câmara Técnica de Saneamento Básico, Leandro Caldo. “Também checamos os boletins de análise da qualidade da água para abastecimento, que precisam atender às normas do Ministério da Saúde”.

E qualidade adequada envolve também o combate ao desperdício, que gera custos e põe a perder o valioso insumo. Por isso, é feita a identificação de vazamentos visando redução de perdas.

Esgoto tratado e cuidado ambiental

Em Caracol e Porto Murtinho, as ações seguem o cuidado integral com o recurso água nos sistemas de saneamento. Além do abastecimento de água, a fiscalização do esgotamento sanitário é essencial para levar saúde à população e preservar o meio ambiente.

“Esse acompanhamento do correto tratamento de esgoto é que garante que o lançamento dos efluentes tratados é feito corretamente, para não contaminar rios, lagos, lagoas. Temos que preservar esses mananciais, que são tão importantes para a flora, a fauna e para o ciclo de consumo humano”, destaca o diretor-presidente da AGEMS, Carlos Alberto de Assis. “Ou seja, em todas as formas, a água é uma riqueza incalculável, e nosso foco é na regulação para o desenvolvimento sustentável e a preservação”.

Rural

E para criar ações que possam melhorar a vida das pessoas, a AGEMS está aplicando a pesquisa sobre Saneamento Rural nos municípios. Dezenove já responderam ao levantamento.

Os primeiros resultados demonstram a preocupação com a falta do acesso a água potável, principalmente em áreas rurais. Dos 57 núcleos rurais representados, 15 tratam a água e destes, 5 realizam a fluoretação, enquanto que em 42 não há nenhum tipo de tratamento da água.

“A pesquisa deve ser respondida pelos municípios, para que possamos conhecer os problemas e estabelecer estratégias de enfrentamento de curto, médio e longo prazo”, afirma a diretora Iara.

Gizele Oliveira, Agems