sábado, 13/04/2024
Em discurso, à tribuna, senador Zequinha Marinho (PL-PA).

O senador Zequinha Marinho (PL-PA) criticou, em pronunciamento em Plenário nesta terça-feira (21), as recentes ações promovidas pelo Movimento dos Trabalhadores sem Terra (MST) no Pará. Ele cobrou um posicionamento do governo do estado com relação às invasões de propriedades rurais.

— O agro paraense está crescendo, mas está em dúvida sobre de que lado está o governador, de que lado está aquele que tem a caneta, a decisão de comandar o estado, e que também é produtor rural, não é? Vai ficar em cima do muro? Vai fazer que não viu? Vai achar que todo mundo está dormindo? Ou vai se manifestar, publicamente, em favor do produtor rural, da segurança jurídica, da tranquilidade para produzir, para assegurar o futuro daqueles que, da terra, não só tiram o sustento, mas dão o sustento para tantos e tantos outros — lamentou.

Ele destacou a tentativa de invasão da Fazenda Ribalta, localizada em Tucuruí (PA). Segundo ele, a ocupação foi contida pelos próprios produtores, que se mobilizaram a tempo. Zequinha explicou que o Sindicato Rural da região mobilizou os produtores para estabelecerem um diálogo com as lideranças do MST, e dessa forma, a invasão foi cancelada.

— Eles foram muito competentes. Chegaram, conversaram civilizadamente. De forma muito tranquila, mostraram para aqueles invasores do MST que aquela terra tem dono, é legal socialmente, enfim, está dentro de todas as normas; que não é por ali o caminho. O caminho não é o da invasão. O caminho é o do diálogo — declarou.

Para o senador, é necessário buscar soluções para resolver esses conflitos.

— A gente precisa sentir que o governador do estado não admite bagunça, não admite a invasão, não admite a insegurança jurídica e que está do lado de quem produz e não do lado de quem bagunça — afirmou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)