sábado, 18/05/2024
A visita virtual autoguiada (Tour 360º), que você mesmo pode explorar os ambientes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal navegando pelo tour 360º oferecido pelas duas Casas.

Neste sábado (4), o Senado reabre as portas para a visitação, que estava suspensa desde dezembro, quando foi interrompida para os preparativos da posse presidencial e assim permaneceu após a invasão de 8 de janeiro. A retomada vale para visitas espontâneas, ainda sem o serviço de agendamento.

— O retorno da visitação ao Congresso Nacional, especificamente ao Senado Federal, é algo necessário. Não apenas porque esse palácio é um símbolo de Brasília e do Brasil, tem uma beleza muito peculiar, mas também porque é necessário porque a melhor resposta para aqueles que entraram aqui sem licença, depredaram o prédio, invadiram as nossas instalações é voltar a convidar as pessoas a entrarem neste prédio. Dessa vez, como convidadas, como colegas, que possam contar a elas a história do Parlamento, a história do Senado e, especialmente, a história do trabalho que esta Casa o Poder Legislativo fazem, tão relevante para o Brasil — declarou Ilana Trombka, diretora-geral do Senado, que começou a carreira há 25 anos como guia das visitações ao Senado.

A entrada dos visitantes é feita pela Chapelaria. Todos devem se identificar para entrar no prédio. Para maiores de 12 anos, é exigida a apresentação de documento com foto. As visitas acontecem aos finais de semana, entre 9h e 17h. A cada hora, um grupo de até 50 pessoas é guiado por um roteiro de aproximadamente 40 minutos do Salão Negro até o Plenarinho.

Ana Lucia Novelli, diretora da Secretaria de Relações Públicas e Comunicação Organizacional, esteve à frente da iniciativa para normalizar a visitação. Para ela, reabrir a Casa ao povo é simbólico. 

— É importante retomar esse trabalho de apresentar à população o trabalho parlamentar, de mostrar e ensinar sobre a arquitetura da Casa e sobre o funcionamento do Poder Legislativo — disse.

Ana Lucia destaca a rápida recuperação física e moral da instituição. Segundo ela, apenas dois dias após as depredações, o Senado já funcionava normalmente. Quase dois meses depois, a Casa está regenerada e os visitantes não devem deparar com sinais de depredação. A diretora faz ressalva sobre algumas marcas visíveis nos carpetes, ainda em processo de troca.

A diretora-geral do Senado, Ilana Trombka, que começou a carreira há 25 anos como guia das visitações ao Senado, ressaltou a importância das visitas dos cidadãos ao palácio do Congresso.

— O retorno da visitação ao Congresso Nacional, especificamente ao Senado Federal, é algo necessário. Não apenas porque esse palácio é um símbolo de Brasília e do Brasil, tem uma beleza muito peculiar. É necessário porque a melhor resposta para aqueles que entraram aqui sem licença, depredaram o prédio, invadiram as nossas instalações é voltar a convidar as pessoas a entrarem nesse prédio. Dessa vez, como convidadas, como colegas, que possam contar a elas a história do Parlamento, a história do Senado e, especialmente, a história do trabalho que o Senado Federal e o Poder Legislativo fazem de tão relevante para o Brasil.

Quantidade e qualidade

Os números mostram o interesse do cidadão em conhecer a Casa. Em 2019, ano anterior à pandemia, foram registrados 155.098 visitantes. O intervalo de isolamento social não interrompeu o trabalho da equipe, pois um sistema on-line foi oferecido à população. 

Em 2022, com o arrefecimento da pandemia, vários ensaios aconteceram para a plena retomada do serviço. Entre aberturas e fechamentos por conta das taxas de infecção pelo coronavírus, boa parte das visitas partiu de solicitações internas, delegações estrangeiras e instituições públicas. 

A visitação é uma iniciativa voltada para o relacionamento com a sociedade e objetiva proporcionar ao público experiências e informações acerca do papel institucional do Congresso Nacional e de sua importância para o cotidiano dos cidadãos brasileiros.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)