quinta-feira, 25/04/2024
Em discurso , à tribuna,  senador Plínio Valério (PSDB-AM).

O senador Plínio Valério (PSDB-AM) afirmou, em pronunciamento em Plenário nesta quarta-feira (22), que o seu partido precisa se reinventar. O parlamentar destacou que o PSDB tem um passado de inúmeras conquistas, além de potencial para desenvolver um novo programa nacional, capaz de ultrapassar a polarização política atual. Ele citou pesquisa do Inteligência em Pesquisa e Consultoria Estratégica (Ipec), segundo a qual 57% das pessoas concordam totalmente ou em parte com a afirmação de que prefeririam que o país tivesse uma “terceira via”.

Plínio disse que o PSDB governa três estados importantes para o país (Mato Grosso do Sul, Pernambuco e Rio Grande do Sul) e conta com 18 deputados federais e três senadores. Para ele, o partido está desgastado e teve sua bancada reduzida por ter cometido o “pecado mortal” de não apresentar candidato na última disputa presidencial.

— Nós estamos baqueados, sofremos muito com a eleição passada, mas estamos de pé, procurando nos reinventar e buscar uma alternativa. Mais do que buscar uma alternativa, precisamos ser essa alternativa para o povo brasileiro, porque nós temos credenciais para isso, temos um passado que nos credencia para isso. E a história precisa, neste momento, ser contada e, quem sabe, até recontada — enfatizou.

O paralamentar ainda destacou que o primeiro programa de garantia de renda mínima no país surgiu em 1993, idealizado pelo então prefeito de Campinas José Roberto Magalhães Teixeira, do PSDB. Também ressaltou que o programa Bolsa Família começou nos governos do partido em Goiás, com o Renda Cidadã. Segundo ele, o presidente Lula mudou o nome da iniciativa e acatou sugestão do PSDB para que o Bolsa Família reunisse os programas criados sob a gestão de Fernando Henrique Cardoso, criando um único programa.

— Esses programas de subsídios, como o Vale Gás e tantos outros, tiveram sequência com o Fundef [Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério], com a responsabilidade fiscal e social traduzida em moderna legislação, ainda hoje vigente, com gestões eficientes, hoje tão citados por sucessivos governos — ressaltou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)