quinta-feira, 25/04/2024
Alunos da Associação Pestalozzi de Brasília lancham durante visitação.

A parceria entre a Liga do Bem, grupo de voluntários formado por colaboradores do Senado, e a Associação Pestalozzi deu os primeiros frutos. Nesta segunda-feira (20), sete atendidos da instituição visitaram o Senado Federal e concluíram a 1ª Oficina Legislativa do Bem. Os alunos também formularam e submeteram três ideias legislativas ligadas à pauta de acessibilidade, por meio da Ouvidoria do Senado e do Portal e-Cidadania.

A coordenadora da Liga, Patrícia Seixas, sublinhou o papel do voluntariado no fortalecimento da cidadania.

— Nosso objetivo é continuar a servir de inspiração. O mais importante é incluir as pessoas no processo legislativo. Eles também estão lutando por seus direitos e nós viabilizamos a eles essa oportunidade — diz.

No final da oficina, os alunos foram saudados com vídeos de apoio e agradecimento dos senadores Romário (PL-RJ), Paulo Paim (PT-RS) e Plínio Valério (PSDB-AM).

Ideias legislativas

A Associação Pestalozzi de Brasília opera na capital desde novembro de 1965 e desenvolve atendimento especializado nas áreas de educação, saúde e assistência social. O público-alvo são pessoas com deficiências funcionais acentuadas e diagnóstico clínico de deficiência intelectual ou deficiência múltipla. Atualmente, são 120 atendidos.

Educadora social da instituição há um ano, Cleia Silva Pedreira se emocionou com a resposta positiva dos alunos. Para ela, foi um momento de inclusão efetiva proporcionada pelo Senado.

— É maravilhoso eles poderem se expressar. Trabalhamos neles sempre a autonomia e a capacidade de serem ouvidos. Essa é a verdadeira acessibilidade — elogia.

Walisson Batista é atendido há cerca de um ano e participou da formulação de um projeto de lei sobre acessibilidade em banheiros públicos.

— Na rodoviária, por exemplo, se o elevador está quebrado, menos gente tem acesso. É bom também ter sinais sonoros e táteis para deficientes visuais nos acessos das escolas, de maneira geral — defendeu.

Outro atendido, Luciano Rocha, auxiliou na proposta de criação de um transporte público exclusivo e adaptado a PCD com mobilidade reduzida. Ele se diz bastante ativo, inclusive pretende participar de competições de atletismo da Pestalozzi em junho, mas sente prazer em advogar pelos menos favorecidos.

— As pessoas com deficiência precisam desse transporte nas escolas de todo o Brasil. Temos de correr atrás e precisamos do transporte para todas as escolas de ensino especial — reforça.

As ideias legislativas que recebem 20 mil apoios em 4 meses são encaminhadas para a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) e formalizadas como sugestões legislativas, podendo em seguida tramitar como projeto de lei, se receber parecer positivo e for aprovada na comissão.

Oficinas gratuitas

A Oficina Legislativa é um serviço aberto a qualquer sala de aula. A página disponibiliza planos de aulas para professores usarem da forma que for mais adequada para rotina educacional. O coordenador do e-Cidadania, Alisson Queiroz, celebra a conclusão da primeira etapa da parceria com a associação e projeta uma expansão para o futuro. Ele ressalta que, como as oficinas são gratuitas e ficam disponíveis on-line, as filiais da instituição por todo o Brasil podem usar o material.

— Essa oficina foi para eles se familiarizarem com o projeto. O conteúdo fica disponível no site para qualquer um fazer a qualquer momento. A vantagem é justamente não depender de um servidor sempre acompanhar presencialmente — declarou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)