sexta-feira, 24/05/2024
Em discurso, à tribuna, senador Jorge Kajuru (PSB-GO).

Em pronunciamento nesta segunda-feira (13), o senador Jorge Kajuru (PSB-GO) manifestou preocupação com o projeto de lei do governo federal que prevê igualdade salarial entre homens e mulheres que exerçam a mesma função. Para ele, a iniciativa corre o risco de ter o efeito contrário ao desejado.

— O projeto é meritório. Faz parte de um conjunto de ações que visam assegurar igualdade de gênero, mas confesso que tenho um receio. Em vez de beneficiar as mulheres, [receio] que o projeto acabe se voltando contra elas, provocando queda no número de contratadas. Pode parecer má vontade de minha parte. Não é, garanto — ressaltou o senador.

Kajuru destacou que “a maioria dos empregadores brasileiros é consciente de sua responsabilidade social, mas há uma parcela que vive em atraso e age de forma a deixar o país com a sua imagem arranhada. Como exemplo, dados do Ministério Público do Trabalho divulgados na semana passada mostram que as denúncias de pessoas trabalhando em condições análogas às de escravo mais que dobraram em 11 anos”.

— Em 2012, o Ministério Público do Trabalho recebeu 857 denúncias de escravidão contemporânea. No ano passado, esse número chegou a 1.973. Alguém pode argumentar que o número é baixo. Eu retruco perguntando: qual a justificativa, em pleno século 21, para alguém empregar, sem o mínimo de garantia em direitos, como se a escravatura não tivesse sido abolida?

O senador também lembrou que, na semana passada, uma operação conjunta da Polícia Federal e do Ministério Público do Trabalho resgatou mais de 50 trabalhadores em condições análogas à escravidão em duas fazendas no Rio Grande do Sul, menos de um mês após cerca de 200 trabalhadores em situação semelhante serem resgatados nesse mesmo estado.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)