sexta-feira, 24/05/2024
Em discurso, à tribuna, senador Jorge Kajuru (PSB-GO).

Em pronunciamento nesta segunda-feira (27), o senador Jorge Kajuru (PSB-GO) demonstrou preocupação com o aumento dos casos de violência nas escolas. O parlamentar lamentou o episódio da professora que morreu, na manhã desta segunda, após ser esfaqueada por um aluno em uma escola estadual na zona oeste de São Paulo.

Kajuru destacou projeto de sua autoria que define medidas para prevenir a violência contra profissionais da educação e prevê procedimentos a serem adotados pelos gestores (PL 5.276/2019). O texto, que estabelece procedimentos de atendimento policial e prevê medidas protetivas para os professores em caso de violência, aguarda votação na Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ).

O senador ainda criticou confronto ocorrido entre jogadores de futebol do Internacional e do Caxias neste domingo (26), seguido de invasão do gramado por torcedores, incluindo um homem com uma criança no colo, para agredir os atletas. Kajuru citou o PL 2.086/2022, projeto de sua autoria que modifica o Estatuto de Defesa do Torcedor (Lei 10.671, de 2003) para aumentar a pena do crime de promoção de tumulto, prática ou incitação de violência, ou invasão de local restrito aos competidores em eventos esportivos.

— São ocorrências que entristecem e nos obrigam a muitas reflexões, a partir de questionamentos que se impõem: a intolerância tomou conta de todos nós? Nós brasileiros estamos nos tornando reféns definitivos do ódio? Desaprendemos de lidar civilizadamente com as frustrações? Somos incapazes — os adultos — de dar bons exemplos aos jovens adolescentes e crianças? Estariam os jovens, adolescentes e crianças com dificuldades para assimilar bons ensinamentos? Há muitos porquês a serem respondidos. E, a meu ver, o Poder Legislativo pode, sim, contribuir cada vez mais, promovendo amplos debates sobre nossas mazelas por meio de audições nas comissões temáticas, audiências públicas e até seminários sobre temas de interesse nacional. Isso sem prejuízo do nosso papel de legislador — afirmou.

Agência Senado